12/05/2020 às 23h25min - Atualizada em 12/05/2020 às 23h25min

Zebras: Santo André e Paulista surpreenderam o Brasil em 2004 e 2005

Ramalhão e Galo da Japí foram os últimos "forasteiros" que ganharam um título nacional de primeira linha

Paulo Octávio
Santo André celebra título da Copa do Brasil no Maracanã. Foto: Paulo Whitaker/Reuters
Santo André e Paulista tiveram histórias parecidas na metade da década passada e são símbolos de um passado que não deverá se repetir. Nos anos de 2004 e 2005, os times do lado B de São Paulo foram ajudados pelas suas respectivas prefeituras e conseguiram conquistar a Copa do Brasil. No caminho até o título, ambos superaram grandes equipes do futebol nacional e um clube carioca na final. E o Ramalhão e o Galo da Japí foram os últimos times fora da primeira divisão que conquistaram títulos de primeira linha.

2004
 
O Santo André jogou por identidade. Muitos o confundiam na época com o São Caetano, vizinho do ABC -- até mesmo o Galvão Bueno, que se enrolou na decisão -- devido aos nomes parecidos e constantes trocas de jogadores.  Mas após o triunfo do Azulão no campeonato Paulista, o Ramalhão também quis um titulo de primeira linha; a equipe já tinha conquistado a Copa SP de Futebol Júnior em 2003.
 
No primeiro jogo, goleou o Novo Horizonte (GO) por 5 a 0 e eliminou no jogo de volta. Já na segunda fase, encarou o Atlético MG: venceu em casa por 3 a 0 e mesmo com a derrota no Mineirão, por 2 a 0, seguiu na competição. Depois passou pelo Guarani (SP) com dois empates, o 1 a 1 em Campinas e depois 0 a 0 no ABC. Nas quartas de final, clube desafiaria o Palmeiras. O Verdão vinha embalado de vitórias contra Corinthians e Ponte Preta. Já o Santo André passou por crises. Perdeu o técnico Luiz Carlos Ferreira, que foi para o Sport, e 12 pontos na série B devido escalação irregular de Osmar e Valdir. Houve a reformulação e eu fui um dos atletas que chegaram. Meu primeiro jogo foi contra o Guarani. Depois, com a saída do Ferreira, que eu conhecia veio o Pericles Chamusca, uma pessoa inteligente, tranquila e que conquistou o grupo. A liderança dele foi muito forte”, disse Sandro Gaúcho em entrevista para o site Imortais
 
A reformulação e força da bola parada foram os motores do Ramalhão. A equipe empatou com Alviverde em 3 a 3 em casa. Já no Palestra perdia por 4 a 2, mas conseguiu dois gols nos últimos minutos. Na sequência, encarou o desconhecido 15 de Novembro (RS). Os gaúchos eram comandados por Mano Meneses. E os dois confrontos foram em estádios nobres, mas vazios. No Pacaembu perdeu por 4 a 3, mas no Olímpico -- atual Arena do Grêmio -- venceu por 3 a 1 e conseguiu vaga para final contra o Flamengo.
 
A equipe jogou “como visitante” por duas vezes. No Palestra Itália a maioria da torcida era do Mengão. Mas houve empate em 2 a 2. Resultado favorecia o Fla, que dependia do empate. Só que o Ramalhão quis fazer historia. Após primeiro tempo de estudo, o clube não se intimidou com os 71 mil torcedores, meteu 2 a 0, com gols de Elvis e Sandro Gaúcho, e entrou para história.
 
Equipe conseguiu permanecer na serie B e foi para Libertadores, porém caiu na primeira fase. Posteriormente, foi vice-campeã da segunda divisão nacional em 2008  -- Corinthians foi o campeão. E vendeu caro a derrota na final do Paulistão para o Santos em 2010, porém no mesmo ano desmontou o time e caiu para série C. Agora desde 2014 não disputa nenhuma divisão nacional. Hoje, clube não sabe como será o futuro. É líder da classificação geral da serie A1, mas vive indecisão sobre a sequência do torneio após a pandemia, e seu estádio virou hospital de campanha para vítimas do Coronavírus.
 
 


 Matéria do Globo Esporte sobre o título do Santo André. Canal:  Hilhotta

2005
 
No ano seguinte foi a vez do Paulista. Equipe era a atual vice campeã estadual numa campanha em que bateu o Santos por 4 a 0, eliminou o Palmeiras e perdeu a decisão para o São Caetano.
 
O clube eliminou Juventude (RS) e Botafogo (RJ) na casa dos rivais. Na terceira fase e quartas de final eliminou o Internacional e o Figueirense nas penalidades -- o Figeira tinha eliminado o Corinthians no jogo do famoso pênalti de Roger. Já nas semis encarou o Cruzeiro. Bateu os mineiros por 3 a 1 em Jundiaí e mesmo com a derrota por 3 a 2 no Mineirão foi à final.  Seu último adversário foi o Fluminense. Na ida, venceu em casa por 2 a 0 com gols de Márcio Mossoró e Leo (no ano seguinte os dois seriam campeões da Libertadores pelo Internacional)  Já em São Januário segurou empate em 0 a 0 e ficou com titulo.
 
Em 2006, Galo da Japí foi para Libertadores e bateu o River Plate em casa, mas foi eliminado na primeira fase. No mesmo ano quase subiu para série A; apesar da goleada por 9 x 0 no Paysandu, ficou duas vitórias atrás do América (RN), último classificado. Paulista foi rebaixado para série C no ano seguinte e desde 2010 está fora do Brasileirão. Conseguiu permanecer na elite do Paulistão até 2014 quando foi lanterna. A partir daí desabou até a prior divisão estadual. Ano passado, o clube foi campeão da quarta divisão estadual, mas até a parada do futebol era o lanterna da série A3.



 Matéria do Globo Esporte sobre título do Paulista. Canal: Tom Baleya HD
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »