24/04/2019 às 14h21min - Atualizada em 24/04/2019 às 14h21min

Nova regra para bagagens de mão

Infraero orienta passageiros sobre os limites permitidos com a nova regra

Diego Araujo - Editado por
Google.com

Desde maio de 2017 as companhias aéreas estão autorizadas a cobrar pela bagagem despachada e não são mais obrigadas a oferecer a franquia de uma bagagem de 23 kg para voos nacionais e de dois volumes com até 32 kg para voos internacionais. Devido a essa nova regra grande parte dos viajantes reduziram a quantidade de malas e optaram pela bagagem de mão para evitar a cobrança. Na última quarta-feira, 24, a Infraero deu início em 15 aeroportos nacionais uma fiscalização educativa para orientar os passageiros sobre as novas regras da utilização da bagagem de mão.

Essa fiscalização vai até o dia 12 de maio. A partir de 13 de maio, os viajantes em desacordo com as normas, poderão ser barrados. Caso a bagagem ultrapasse as medidas, o passageiro terá que despachar a mala e pagar pelo peso excedente. Segundo a Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear) a intenção das novas regras é agilizar o fluxo dos clientes nas áreas de embarque.

As medidas máximas válidas para (acrescenta o artigo como você colocou na Gol, no caso o "a") Avianca, Azul, Latam e Passaredo são: 45cm x35 cm x 20 cm. A Gol considera 43 cmx 32 cm x 22 cm como dimensões-limite. Já a MAP Transportes aéreos não permite o transporte de mais um item a bordo. Na TAP, companhia aérea portuguesa o item pessoal pode pesar até 2 quilos e ter medidas de até 40 cm x 30 cm x 15 cm. Além da bagagem de mão, algumas companhias aéreas permitem que o passageiro também leve gratuitamente um item pessoal, como uma bolsa pequena, mochila para notebook, entre outros.

Vale lembrar que é importante que o passageiro fique atento e veja as novas regras para evitar transtornos.

 

 


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »