09/09/2020 às 10h52min - Atualizada em 09/09/2020 às 12h38min

Além do desapego: Quem é responsável pela produção de resíduos têxteis?

Atualmente, estima-se que o Brasil produz cerca de 175 toneladas de lixo têxtil

Laís Rodrigues - Editado por Larissa Barros
Reprodução

O questionamento sobre a vida útil das roupas vem se tornando algo bastante comum entre as pessoas, nas redes sociais, em produções de lojas e em grandes marcas. Com isso, as indústrias da moda e as pessoas estão se vendo “obrigadas” a tomarem uma iniciativa a favor dessa onda de discussões. 
 
Estima-se que o Brasil produz cerca de 175 toneladas desse tipo de resíduo, por ano. Segundo o Sindicato das Indústrias de Fiação e Tecelagem do Estado de São Paulo (Sinditêxtil-SP), os bairros Brás e Bom Retiro, localizado na região central da cidade, é responsável por produzir em média de 12 a 10 toneladas de resíduos sólidos têxteis por dia, durante o ano de 2009.  Essa localidade é conhecida por ser um dos maiores centros comerciais do Estado, e é focado na venda de roupas, como a famosa “Feira da Madrugada”. 
 
Os resíduos têxteis começam a surgir ainda nas fábricas com as sobras de corte. Apesar da quantidade passar despercebida, ao final do processo de produção todo o lixo toma um número significativo. A Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) aponta que os consumidores são responsáveis por descartar de forma sustentável os itens que adquiriram, como roupas e sapatos. 

Com relação ao descarte dos materiais utilizados para produção têxtil, o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma) destaca que somente 58% desse lixo vão para os aterros sanitários. Já 24,2% é despejado em aterros controlados, e apenas 4% é reciclado.

Sendo assim, uma das formas de garantir que não ocorra o descarte incorreto de roupas é investir em peças que possuam tecidos com uma boa durabilidade e, feitos com materiais que não agridam tanto o meio ambiente, como os tecidos sintéticos, que geralmente vem de origem química como o petróleo. Esses rejeitos são um dos grandes responsáveis pela quantidade de microplástico existente nos oceanos. 
 
A escolha da marca responsável pela produção das roupas é algo que pode ser avaliado na escolha das peças, para contribuir com um melhor resultado. Grandes lojas, redes de fast fashion procuram terceirizar o trabalho, e não se preocupam com detalhes como o destino do lixo têxtil.  
 
Jogar uma roupa no lixo é uma forma de contribuir para o aumento dos resíduos, já que ela acaba recebendo uma vida útil menor do que possui. Sendo assim, ao pensar em uma peça que não quer mais no seu armário é importante analisar o destino que ela receberá. Dessa forma, você pode acabar percebendo que fazer uma doação para instituição carente, vendendo em um brechó ou doando para um colega que goste da roupa vai evitar o seu descarte, e a poluição do meio ambiente.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »