11/09/2020 às 11h44min - Atualizada em 11/09/2020 às 11h42min

Au pair: veja o que é, como funciona e se vale a pena

Morar fora do país pode sair mais em conta se você considerar o au pair

Victória Santos Silva - Alexandra Machado
Foto: Getty Images

Muito se fala sobre o programa au pair de intercâmbio, mas pouco se sabe sobre os pormenores dessa experiência cultural e profissional. É fundamental que o interessado esteja bem informado sobre os requisitos e, principalmente, sobre seus direitos e a regulamentação do programa no país pretendido.

Au pair é uma expressão francesa que se refere às pessoas que viajam a outro país para ajudar famílias a cuidar das suas crianças. Em troca, elas recebem salário, moradia e refeições, além de oportunidades de viagem e estudo no exterior. Além disso, é um intercâmbio cultural para quem procura adquirir fluência em um idioma estrangeiro e vivenciar uma cultura diferente por meio do trabalho com crianças e a convivência com uma família. O programa tem um ano de duração, que pode ser estendido por mais seis, nove ou 12 meses.


Como funciona o intercâmbio au pair?

Como au pair, você vai morar com uma família anfitriã e cuidar de seus filhos. Em troca, sua acomodação e refeições são completamente pagas;

Também será solicitado que você cuide de algumas pequenas tarefas domésticas, como cozinhar e limpar o quarto das crianças, lavar roupa, fazer compras, levar as crianças para passear, preparar o lanche escolar, levá-las para a escola (para isso, muitas famílias disponibilizam carro);

As horas de trabalho geralmente são de 7-8 horas por dia, com um máximo de 10 horas por dia;

Ao final do programa, você terá um mês inteiro para passear, além de duas semanas de férias remuneradas durante o programa;

Nos Estados Unidos, um au pair recebe cerca de 175 dólares por semana (a remuneração pode variar de um programa pra outro).

 

O que é preciso para ser au pair?

Para trabalhar como babá você deverá atender a alguns requisitos. Os mais importantes incluem:

1) Requisitos básicos

Você deve ter pelo menos 18 anos antes da data de partida para se tornar legalmente au pair. Além disso, você deve ter ensino médio completo, histórico criminal limpo e, muitas vezes, uma carteira de motorista é necessária.

2) Proficiência no idioma 

O conhecimento básico da língua estrangeira é essencial. Para trabalhar nos EUA, por exemplo, você precisará de habilidades em inglês suficientes para se comunicar facilmente com a família anfitriã.

3) Experiência de trabalho anterior

Naturalmente, o mais importante é que você tenha experiência em cuidar de crianças, como babá, voluntariados, e cuidar de seus irmãos mais novos. 

Também deve ser notado que ser au pair é um trabalho em tempo integral que requer responsabilidade. Portanto, é recomendado apenas para aqueles que realmente gostam de trabalhar com crianças e se sentem confortáveis com essa tarefa.

4) Visto

Você precisa de visto para entrar e trabalhar legalmente como au pair nos EUA.

Para evitar o estresse durante a preparação para o seu intercâmbio au pair, é necessário começar o planejamento da viagem pelo menos 6 meses antes da data de partida desejada.
 

Em quais países posso ser au pair?

O programa de intercâmbio au pair existe em vários países do mundo, sendo os Estados Unidos um dos lugares mais populares e que oferece até um visto específico para isso (o J1). Já na Europa, são vários como Noruega, Itália, Bélgica, Holanda, Alemanha, Luxemburgo, França, etc.

Importante: existem muitos países na Europa onde o programa NÃO É REGULAMENTADO para brasileiras(o) como Espanha, Inglaterra, Itália entre outros.

V
ale ressaltar que nos países onde não há regulamentação o número de abusos por parte das famílias é maior. Há casos onde as au pairs são obrigadas a trabalhar mais que 10 horas por dia. Sendo assim, é de grande importância que saiba sobre as normas do programa no país que se pretende ir. Uma vez regularizado, cada país impõe suas regras como salário, idade, horas de trabalho e o principal, os direiros do au pair.





Quanto custa?

Isso vai depender de vários fatores como: localização de onde mora no Brasil (uma vez que é preciso gastar com locomoção para ir até o consulado para tirar o visto), documentos (dependendo do país é preciso fazer traduções da certidão de nascimento), visto, exames médicos (tem agências e países que exigem certos exames), taxa de inscrição da agência (isso varia), entre outros gastos. De um modo geral, os gastos variam entre 3000-7000 reais.


Au pair com ou sem agência?

Para países como Estados Unidos e Holanda é necessário o intermédio de uma agência para ser au pair. Ou seja, é preciso se inscrever em uma das agências que sejam reconhecidas pelo país de escolha. Por isso, é bem importante que investigue a reputação da mesma antes de se inscrever.

Lugares como a Bélgica, por exemplo, não é necessário ir agenciado. Logo, a dica é procurar famílias por conta própria (o site Au Pair World é um dos mais populares para encontrar famílias). 

Países que exigem intermédio de uma agência são responsáveis pela parte mais burocrática, como o processo do visto. No geral, as empresas exigem documentos para serem enviados, como se fosse seu dossiê de informações.

O
 processo para se tornar au pair varia bastante de acordo com cada país, mas envolvem, basicamente:

  • preenchimento dos documentos (application/dossiê);

  • contato com as famílias; 

  • escolha da família (o match);

  • aplicar para o visto;

  • por último, o embarque.

Já para quem optar em ir sem o intermédio de uma empresa, tudo será feito por sua conta, como entrada no visto e outras burocracias. 

É preciso levar em consideração os riscos de viajar por conta própria, se algo acontecer como ser mandado pra fora da casa da host family ou ser maltratado, se tiver sem agência, não haverá a quem recorrer para pedir auxílio.

Resumindo, além da vivência no exterior, este intercâmbio é ideal para quem pretende aprimorar um novo idioma, conhecer uma nova cultura, viajar no tempo livre e fazer um curso de sua escolha. Além disso, ainda contar com um salário que pode chegar até a 800 dólares, dependendo do país de escolha. Ou seja, intercâmbio barato e remunerado = ideal para quem sonha em morar fora sem ter que gastar uma fortuna.

 

 

 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »