29/10/2020 às 17h36min - Atualizada em 29/10/2020 às 17h32min

Operação na Maré prende integrantes do Comando Vermelho do Rio de Janeiro

Os agentes encontraram ainda um depósito clandestino com 30 toneladas de produtos falsificados.

Lorenzo Rivero - Editor: Ronerson Pinheiro
Foto/Reprodução: TV Globo
Mais uma vez o Complexo da Maré, no Rio de Janeiro foi palco de uma operação deflagrada pela Polícia Civil para tentar prender foragidos da Justiça. A ação teve início ainda pela madrugada e contou com o efetivo de 300 agentes, cinco blindados e o apoio do helicóptero da corporação. Cinco delegacias participaram da força-tarefa que teve como alvo integrantes do Comando Vermelho, uma das maiores facções do tráfico de drogas no estado.

Segundo o Secretário de Estado de Polícia Civil, Delegado Allan Turnowski, a morte do menino Leônidas Augusto da Silva de Oliveira, de 12 anos foi a gota d’ água: “Essa operação começou no dia 9 de outubro, quando recebi a notícia de que o menino Leônidas Augusto da Silva de Oliveira, de 12 anos, tinha sido morto durante tiroteio na Avenida Brasil. Me coloquei no lugar dos familiares e amigos que, mesmo com a extrema dor da perda, certamente tinham o desejo de justiça. Aquilo foi a gota d’água. Determinei a realização para prender criminosos ligados a este grupo e mostrar para todos que estão envolvidos na vida do crime que não existe território deles. Quem manda é o estado”, conta. 

De acordo com o Delegado Rodrigo Oliveira, subsecretário de Planejamento e Integração Operacional da Polícia Civil, os locais funcionam como um verdadeiro QG: “Essas localidades são um verdadeiro “QG” do crime organizado na cidade do Rio de Janeiro, servindo de base operacional, entreposto na distribuição de armas e drogas, planejamento e execução de grandes roubos de cargas, e ainda serve de esconderijo para criminosos de diversas regiões do estado do RJ controladas pela mesma facção criminosa”, explicou.

Segundo os agentes a operação denominada Gota D’Água, resultou na prisão de 19 pessoas além da apreensão de três fuzis, uma pistola, granada, silenciadores e grande porção de drogas. Os agentes encontraram ainda um depósito clandestino com 30 toneladas de produtos falsificados entre brinquedos e mochilas. O valor das mercadorias ultrapassa a casa dos 200 milhões de reais.


Editora-chefe: Lavínia Carvalho. 




 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »