09/12/2020 às 17h47min - Atualizada em 09/12/2020 às 17h18min

Cinco contratações que decepcionaram o mundo do futebol

Jogadores que atuam abaixo do esperado costumam ser rapidamente negociados

Caio Henrique Panini de Oliveira - editado por Thamyres Pontes
Hazard saindo lesionado da partida. ( Foto: Jose Jordan)
A cada janela de transferências, os clubes se reforçam ou vendem jogadores. As novas aquisições dos times fazem com que o mundo da bola fique entusiasmado com determinada compra, mas existem casos onde a equipe gasta uma enorme quantia no jogador e ele decepciona. Pensando nisso, confira as cinco transferências que até agora não deram certo no futebol Europeu.

1. Eden Hazard - Real Madrid

Eden Hazard chegou ao Real Madrid em julho de 2019, o clube da Espanha adquiriu o jogador pelo valor de 115 milhões de euros. Com passagens por Losc Lille, da França, e Chelsea, da Inglaterra, o belga chegou com enormes expectativas. No clube inglês, o jogador era o principal nome do elenco. Sua passagem  pelos clubes rendeu 352 jogos, 110 gols e 92 assistências. Certamente, a torcida estava animada com o possível substituto de Cristiano Ronaldo.

Nos primeiros dias, o jogador já recebia críticas da imprensa espanhola. O atacante se apresentou ao clube acima do peso, assim, perdeu tempo em sua adaptação para poder retornar ao peso ideal. Após a primeira polêmica, o camisa número sete da equipe merengue sofreu a sua primeira lesão pelo novo time, que o tirou dos gramados nos três primeiros jogos do Campeonato Espanhol. Logo após se recuperar, Eden foi titular nos jogos contra Levante e Sevilla, mas sem destaque. Seu primeiro gol pelo Real Madrid foi contra a equipe do Granada, em jogo válido pela oitava rodada da LaLiga.


Eden revezava entre a titularidade e a reserva, afinal, jogadores como Vinicius Junior e Rodrygo pediam passagem e entregavam um desempenho melhor. Logo após os  primeiros jogos, mais uma lesão, contusão no tornozelo. Em seu primeiro ano pelo novo clube, atuou em 22 jogos, marcou apenas um gol e deu sete assistências. O belga perdeu 22 jogos por estar lesionado, além de ficar mais quatro sem atuar, por opção técnica.

Agora em 2020, as lesões voltaram, já somam quatro problemas físicos nesta temporada, que nem chegou a sua metade. Igualmente ao ano passado, o atacante teve lesão muscular e esteve acima do peso, ainda, testou positivo para o novo Coronavírus. No total, perdeu 10 jogos, atuou em apenas seis confrontos e marcou dois gols. Além dos problemas físicos, Hazard não vem mostrando suas habilidades e pouco lembra o que foi no Chelsea.



2. Thomas Lemar

​O segundo nome desta lista é campeão da Copa do Mundo de 2018, com a Seleção FrancesaThomas Lemar.  O atleta era destaque na equipe do Mônaco, da França, na temporada 16/17, que naquela ocasião chegou às semifinais da Champions League. Logo após o término da Copa na Rússia, o frânces, que na época tinha apenas 22 anos de idade, foi contratado pelo Atlético de Madrid.  Dessa forma, chegou aos Colchoneros por 72 milhões de euros.

Pela equipe dos Les Rouge et Blanc, Thomas atuou em 127 jogos, marcou 22 gols e deu 33 assistências. Em seu primeiro ano no novo clube, foi titular na maioria das partidas, ao todo foram 31 jogos como titular, mas sem muitos destaques. A sua boa velocidade era alvo de elogios, porém, a sua falta de habilidade com a bola no pé e a inexperiência em tomar a melhor decisão para decidir algumas jogadas, fizeram com que recebesse críticas da torcida.

Posteriormente, após ter seu primeiro ano no clube voltado à adaptação ao novo time, era esperado mais de Lemar em sua segunda temporada. Entrentato, o camisa 11 sofreu com algumas lesões. Um problema muscular o tirou dos gramados por nove jogos, e uma lesão na coxa o fez ficar de molho em duas partidas. Assim, o jogador foi perdendo espaço no elenco, ficou na reserva em algumas disputas e foi titular em apenas 12 partidas.

O esquema tático imposto pelo técnico o favorecia. Atuando pelo ponta esquerda, o francês tinha mais liberdade para ir ao ataque e não precisava voltar muitas vezes para a defesa. Porém, não se destacou e atuou muito abaixo do esperado, na temporada 19/20 foram 29 jogos sem anotar gols e assistências.

Neste ano, as coisas mudaram. Apesar de ter atuado como titular somente
 em quatro jogos, Thomas Lemar tem participado das disputas e não jogou em duas partidas, apenas. As lesões, até o momento, não o atrapalharam. O treinador, Diego, o colocou para atuar como um segundo atacante, atrás de João Felix. Consequentemente, o atleta tem apresentado melhor desempenho, visto que, seu único gol na temporada, até o momento, foi na posição de atacante. Por enquanto, são 13 partidas disputadas, um gol e uma assistência. Lemar ainda tem tempo para dar a volta por cima, mas precisa ser rápido.

3. Christian Eriksen

O meia dinamarquês era um dos nomes de destaque do Totteham, da Inglaterra.  Além disso, foi um dos principais meio campistas do futebol, se destacando com frequência nas partidas. Mas em 2019, Christian Eriksen dizia que gostaria de tentar algo novo. Eriksen vivia um impasse com a diretoria sobre a sua renovação, o camisa 23 queria buscar novos ares e com isso a Inter de Milão chegou a um acordo com o jogador.

Em janeiro de 2020, a equipe italiana anunciou sua compra por 27 milhões de euros. Times como Real Madrid e PSG, da França, também o queriam, mas ele tinha confiança no projeto da Internazionale. O técnico Antonio Conte já havia dito que gostava do atleta e aparentou ter ficado muito feliz com a aquisição da Inter.

No início, o dinamarquês ficava no banco de reserva, afinal, uma contratação no meio da temporada pode render mais tempo de adaptação. O jogador atuou em 26 partidas, 11 como titular. Porém, teve pouco destaque e quase não lembrava o meia ofensivo que jogava nos Spurs. Ao todo, foram quatro gols e três assistências em sua primeira temporada.

Já em sua segunda temporada pelo clube, Eriksen perdeu mais espaço. O treinador Conte costuma usar uma tática com três zagueiros, cinco meio campistas e dois atacantes, com isso, Christian não tem sido utilizado pelo comandante italiano. Na Inter de Milão, na maioria dos jogos, Bronzovic, Barella e Gagliardini são os titulares.

Devido a tática utilizada, 3-5-2,  é até compreensível que o camisa número 24 seja reserva. Porém, a imprensa italiana argumenta sobre a falta de oportunidade dada ao jogador, até mesmo em partidas, que teoricamente, a Inter teria mais tranquilidade para vencer.  No duelo contra contra a equipe do Bolonha, pela 10
ª rodada do Campeonato Nacional, Eriksen atuou apenas um minuto, entrando aos 45 do segundo tempo e nem sequer tocou na bola. Ao todo, atuou em apenas dez jogos na temporada 20/21.

De acordo com o Corriere dello Sport, a Inter de Milão está disposta a vender o meio campista. Times como Borussia Dortmund e Manchester United mostraram um pequeno interesse pelo jogador, mas a equipe italiana quer  50 milhões de euros, quantia considerada alta devido a fase de baixo desempenho vivenciada pelo atlteta. Em contrapartida, Christian Eriksen ainda possui tempo e habilidade para voltar a ser um dos destaques no mundo da bola. Basta saber qual time o dará esta oportunidade.




4. Alexis Sánchez

 
Alexis Sánchez foi um dos principais nomes do Arsenal nos últimos anos e conquistou os torcedores no momento difícil em que o time vivia. O atacante teve passagens por Colo Colo, do ChileRiver Plate, da ArgentinaUdinese, da Itália, e Barcelona. Pelos Gunners, o chileno atuou em 166 partidas, balançou as redes 80 vezes e deu 45 assistências. Assim, o Manchester United cresceu o olho pra cima do jogador, e o contratou por 34 milhões de euros em 2018. As expectativas eram enormes, se pelo Arsenal, que possuía algumas deficiências, o atleta conseguia se destacar e até levou o time a conquistar vários títulos, teoricamente seria ainda melhor pelos Red Devils. Porém, na prática não foi assim.

Apesar de ter chegado na metade da temporada 17/18, foi titular da equipe. Na Premier League, esteve disponível para jogar em 13 ocasiões e atuou 12 como titular. Na ponta esquerda, ao lado de LukakuRashford, pouco se destacava. Alex recebia críticas por não conseguir se adaptar a um campeonato em que já  era familiarizado. Ao todo, foram 18 jogos disputados, três gols e cinco assistências, mas ainda se tinha muita esperança no jogador.

Em sua segunda temporada, o atacante chileno sofreu com lesões. Uma contusão no joelho o tirou de cinco jogos, além de uma lesão na coxa, que o deixou de fora de sete partidas. No total, foram quatro lesões e 17 disputas sem estar à disposição do técnico Solskjaer. Consequentemente
foi perdendo espaço, seu  rendimento não era satisfatório e, com isso, virou reserva do elenco.

Sánchez atuou apenas em 13 jogos como titular. Além disso, o camisa sete jogou apenas uma partida completa, era sempre substituído. O
Manchester United teve 53 disputas,  mas o atleta entrou em campo somente em 27 ocasiões, o que o fez pensar em procurar novas possibilidades. Ainda, em 2019 foi emprestado ao Inter de Milão, com isso, foram apenas um ano e sete meses na equipe de Manchester. Além disso, neste ano, o jogador assinou com a equipe italiana a custo zero, um grande prejuízo para o time da Inglaterra. No entanto, não apenas a diretoria, como também os torcedores não sentem a falta do chileno.

5. Romelu Lukaku
O ultimo nome desta lista é Romelu Lukaku, que chegou à equipe do Manchester United em 2017. Na época, os Red Devils pagaram 84,70 milhões pelo jogador que atuava no Everton, da Inglaterra. O atacante belga era um dos principais nomes do Campeonato Inglês. Quando jogava pelo Everton marcou 87 gols em 166 partidas, números excelentes para quem atuava em um time médio da Inglaterra.

Lukaku chegou ao United para ser o novo camisa nove, afinal, Ibrahimovic estava lesionado e iria demorar para retornar. O atacante iniciou muito bem a sua história pelo Manchester, foram 51 jogos, 27 gols e nove assistências, marcando 16 na Premier League. O grande destaque do seu primeiro ano na equipe foi no jogo contra o Chelsea, em que marcou um gol e deu uma assistência,  o Manchester venceu a partida pelo placar de 2 a 1. 

Em contrapartida, no ano de 2018 se iniciou a época 18/19, Romelu marcou 15 gols em 45 jogos. Na Champions da temporada, o belga marcou apenas dois gols em nove jogos, média muito abaixo do que era esperado em competições europeias.Apesar disso, a torcida não pegava muito no pé do jogador e ele continuava sendo o titular da equipe. Mas em agosto de 2019, foi negociado com a Inter de Milão, o motivo da sua saída foi entendida um pouco depois. Lukaku não tinha uma boa relação com o técnico Solskjaer. Em seus últimos dias na equipe, desentendeu-se com o treinador e percebeu que deveria mudar de time para conseguir mostrar sua habilidade.

Com apenas dois anos e um mês no Manchester, Romelu foi negociado por 74 milhões de euros com o Inter de Milão. Toda sua passagem pelos Red Devils resultou em 96 jogos, 42 gols e 13 assistências. Os números são bons, mas esperava-se mais tempo de relacionamento com o Manchester. No fim, sua passagem é considerada abaixo do esperado, visto que, dois anos para um jogador que custou 84 milhões de euros é muito pouco. 









 

 

 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »