13/12/2020 às 14h06min - Atualizada em 13/12/2020 às 11h53min

De clube principal à coadjuvante: a queda do Manchester United nos últimos anos

Os Red Devils estão em uma seca de títulos que somam três anos; além da eliminação precoce em diversas competições

Caio Henrique Panini de Oliveira - editado por Thamyres Pontes
Marcus Rashford comemorando um gol pelo Manchester. (Foto: James Worsfold)
O Manchester United vive atualmente em uma espécie de gangorra. O clube da cidade de Manchester foi eliminado na fase de grupos da Champions League da temporada 20/21. A princípio, era um dos favoritos da chave, porém não apresentou um bom futebol, e acabou ficando na terceira posição. As equipes classificados foram PSG, da França e RB Leipzig, da Alemanha.

Além disso, o time vive altos e baixos em todas as temporadas. Na Premier League, o clube é o 7° colocado, mas vive uma ótima fase fora de casa. Ao todo, foram nove vitórias consecutivas longe de seu estádio. Por outro lado, sofrem pressão por conta das más campanhas nos torneios europeus, além da falta de títulos. O último troféu erguido foi em 2017, na ocasião, o Manchester venceu a Super Taça da Inglaterra.

Desde a saída de Alex Fergunson, que ficou em Manchester de 1986 a 2013, a equipe não conseguiu conquistar novamente a maioria dos seus torcedores.  Ainda, passa longe de uma temporada brilhante, o que era normal na época de Alex. O primeiro treinador a assumir o comando do time após a saída de Fergunson foi David Moyes, que não conseguiu uma boa campanha com o clube da Inglaterra. Entretanto, sob seu comando, foram 51 jogos, 26 vitórias, 10 empates e 15 derrotas, além da conquista da Super Taça da Inglaterra. Porém, a torcida não foi cativada. Por fim, o técnico ficou apenas uma temporada no clube.



Anteriormente, o comandante da temporada 14/15 foi Louis van Gal. O holandês comandou a equipe em 44 jogos, venceu 23, foi derrotado em 10 e empatou 11. Os números podem ser razoáveis, mas por outro lado, o time fez uma campanha abaixo do esperado, ficando no 4° lugar na Premier League. Afinal, o clube havia feito contratações altíssimas na época. Ao mesmo tempo, o argentino Angel Di Maria chegou à Terra da Rainha em 2014, contudo, não agradou e logo foi negociado.  Da mesma forma, o atacante colombiano Falcão também jogou em Manchester,  atuou apenas um ano e foi para o Chelsea.



Desde 2013, o Manchester United teve quatro técnicos, David Moyes, Louis van Gal, José Mourinho e o atual Solskjaer. Van Gal ficou duas temporadas no clube, 14/15 e 15/16, já o português Mourinho comandou os Red Devils de 2016 até o fim de 2018, ano em que Solskjaer assumiu. Definitivamente, nenhum deles mostrou continuidade no trabalho de Alex. Dessa forma, o time foi perdendo a sua essência e brilho que possuía na Inglaterra.

Além dos técnicos que deram certo no Manchester, algumas contratações também possuem uma parcela de culpa pela insconstância da equipe. Entre 2013 e 2020, a diretoria já gastou mais de 1 bilhão em contratações, dentre elas, inúmeras não deram certo. Jogadores como Di Maria e Falcão ficaram apenas uma temporada no United. O lateral Diogo Dalot foi contratado em 2018 por 22 milhões de euros e atualmente está emprestado ao Milan, da Itália. Já Paul Pogba, custou aos cofres do clube uma quantia de 105 milhões de euros e até agora não rendeu o que era esperado. Outros nomes como Mkhitaryan, Matteo Darmian, Menphis Depay, Schneiderlin, Marcos Rojo decepcionaram, visto que, não jogaram o bom futebol que era desejado e deixaram prejuízos na conta do clube.


De antemão, uma característica de Fergunson foi a utilização da base. Além disso, um dos principais ídolos da história do time foi Ryan Giggs, o galês foi revelado em 1991 e ficou até 2014, atuando 25 anos pelo Manchester United. Ainda, Paul Scholes, David Beckham, Butt, Gary Neville e Phil Neville fizeram parte da incrível e famosa classe de 92, considerada por muitos, mais do que uma história de futebol.

Além disso, todos estes jogadores, foram bancados pelo técnico escocês. Na época, os atletas se juntaram a outras grandes nomes do clube, que fizeram história e conquistaram diversos troféus. O Manchester United encontrou o caminho de uma forma simples e barata: formar jogadores no seu próprio clube. Dessa forma, fizeram apenas contratações pontuais, como a lenda Eric Cantona, que chegou também em 1992 e se tornou ídolo da torcida.



Em síntese, o Manchester é um dos mais tradicionais times da história do futebol. Constantemente, passaram por diversas alegrias e tristezas que ficaram marcadas na história do mundo da bola. Com toda certeza, a equipe quer voltar a brigar por títulos e estar na mira dos holofotes. Em contrapartida, resta saber quando acontecerão as mudanças necessárias para que o desejo se realize.


 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »