17/12/2020 às 16h34min - Atualizada em 17/12/2020 às 15h28min

A rivalidade entre Barcelona e Paris Saint-Germain

As duas equipes vivem mais um capítulo de conflitos dentro e fora de campo

Caio Henrique Panini de Oliveira - editado por Thamyres Pontes
Barcelona comemorando na remontada de 2017. (Foto: Vladimir Rys)
Barcelona e Paris Saint-Germain irão se enfrentar mais uma vez na UEFA Champions League. As partidas serão realizadas em fevereiro de 2021, com o primeiro confronto no Camp Nou e o segundo no Parc des Princes. Dessa forma, o duelo será o 12° confronto entre os times. Porém, o que dá um toque a mais neste jogo é a rivalidade que as duas equipes possuem dentro e  fora de campo. Por isso, Barcelona e PSG  terão mais um capítulo nesta história, visto que, atualmente esse conto ficou ainda mais interessante para os amantes de futebol.

Dentro das Quatro Linhas

Dentro de campo, tudo começou em 1995, quando o clube espanhol enfrentou o francês nas quartas de final da Champions League. A princípio, o Barcelona era o favorito para o confronto. Entretanto, o PSG possuía bons jogadores, como Raí, o zagueiro Ricardo Gomes, o centroavante norte-americano George Weah, entre outros. Por meio disso, a equipe francesa conseguiu eliminar os espanhóis por 3 a 2 no agregado, e se classificaram para a próxima fase do torneio.
 
Logo depois, o Barcelona conquistou a Recopa Europeia de 96/97 em cima dos Les Rouge-et Bleu, por 1 a 0. Porém, posteriormente, essa rivalidade se esfriou, as equipes só voltaram a se enfrentar em 2013, 16 anos após o título. A partida foi disputada novamente nas quartas de final da Competição Europeia de Clubes, o Barça queria se vingar do resultado de 1995, contudo a disputa foi bem acirrada.

No jogo de ida, na França, a partida terminou empatada por 2 a 2. O Culé tinha a vantagem do gol fora de casa, portanto eram os favoritos para o confronto de volta. Naquele ano, o Barcelona possuía um meio de campo com Fabregás, Busquets e Xavi, e um ataque com Iniesta, David Villa e Messi. Ainda, era um time que jogava há um bom tempo junto e tinham melhor entrosamento. Ao contrário do time de Paris, que havia contratado vários jogadores para aquela temporada, como Thiago Silva, Lucas Moura, Lavezzi, Ibrahimovic, Verrati e a lenda inglesa David Beckham.


Na segunda partida da decisão, o Barcelona se classificou pelo gol marcado fora de casa. Afinal, o jogo de volta terminou um empate, por 1 a 1. Naquele momento, a rivalidade se intensificou. Além disso, o confronto foi bastante equilibrado, contudo, a equipe Catalã passou de fase. Em 2014, os times se enfrentaram na fase de grupos da Liga dos Campeões da temporada 14/15. Em resumo, o PSG conquistou a vitória no primeiro turno por 3 a 2, em jogo realizado na França. Já no segundo jogo, a equipe da Espanha venceu por 3 a 1, em seu estádio. Novamente, o confronto foi bem equilibrado. 



Em seguida, as equipes ficaram cara a cara pela terceira vez nas quartas de final do torneio. Em virtude dos confrontos recentes, os holofotes estavam focados neste jogo. Na partida de ida, no Parc des Princes, o Barcelona conquistou um bom triunfo por 3 a 1, ficando mais perto da vaga. Na volta, novamente o Culé venceu por 2 a 0  e se classificou.

Em 2017, mais uma página desta história foi escrita No mesmo torneio, nas oitavas de final, era esperada uma partida bem disputada, entretanto não foi isso que aconteceu. Os franceses acabaram com os espanhóis, conquistando um placar de 4 a 0, com  do argentino Di María. Todos diziam que já estava resolvido e que o Paris iria se classificar. No entanto, o outro time era ninguém mais, ninguém menos que o Barcelona do trio MSN.


Após vencerem por 4 a 0, os jogadores do time francês começaram a postar provocações nas redes sociais, o que deixou o Barça com mais sangue nos olhos para conseguirem a remontada no Camp Nou.

Na partida de volta, o mandante havia mudado o seu esquema tático colocando três zagueiros, nenhum lateral e quatro jogadores no meio de campo. Ao contrário do Paris Saint-Germain, que escalou alguns reservas para o jogo. No fim, uma das maiores viradas da história do futebol aconteceu, Sergi Roberto marcou nos últimos instantes o gol da classificação, eliminando o time da França.


Fora das Quatro Linhas

 
Fora de campo as coisas também não vão nada bem. Negociações entre os dois times já aconteceram; logo depois da remontada em 2017, o Barcelona esteve interessado e chegou a fazer proposta por Verrati. Ao mesmo tempo, o meia campista italiano deixou claro que desejava a transferência para a Catalunha. Contudo, por conta da virada do time espanhol dentro de campo, além das provocações da equipe espanhola, o PSG desistiu da negociação e manteve o jogador contra a própria vontade.



Naquele mesmo ano, Neymar foi contratado para ir jogar na França. O brasileiro tinha renovado o contrato com a antiga equipe, porém decidiu ir contra a vontade do seu clube e aceitou a proposta. Obviamente, isso tudo isso deixava a situação entre os times ainda mais complicada, uma vez que o PSG não liberou Verrati e fez com que o Barcelona disponibilizasse um nome muito importante do seu elenco.

Em 2019, o volante Rabiot tinha aceitado uma proposta da Catalunha para fazer parte do elenco. Antes de mais nada, o
 jogador não queria permanecer na França, de antemão, dizia que não renovaria o contrato. Em contrapartida, o Les Rouge-et Bleu não aceitou a proposta e colocou Adrien para treinar com o sub-20. Atualmente, o meia atua na Itália apela Juventus. Entretanto, o Culé perdeu o interesse em Rabiot pela dificuldade em negociar com os franceses.


Por fim, ambas as equipes possuem motivos para rivalidade. Com toda certeza, a disputa pela Champions League em 2021 será um dos principais jogos das oitavas de final, Neymar contra Lionel Messi, professor e aluno se enfrentando em busca de uma vaga na próxima fase da competição.


 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »