18/01/2021 às 15h34min - Atualizada em 18/01/2021 às 14h12min

Um panorama da leitura no país

Rafaela Moreira - Editado por Letícia Agata
Retratos de Leitura no Brasil do Instituto pró livro, Itaú Cultural. O Brasil que lê. Com parceria do instituto interdisciplinar de leitura da PUC-RIO, Valdecira Maciel, uma das coordenadoras do espaço cultural nossa biblioteca, Belém pá
Segundo a divulgação da pesquisa "Retratos da leitura no Brasil", do Instituto Pró-Livro, a capital da Paraíba, João Pessoa, está em primeiro lugar com 64% da população que mais lê no Brasil, seguida por Curitiba com 63%, Manaus com 62% e Belém - PA com 61%. A maior parte do percentual desses leitores é estimilada por projetos que atuam em todo país, principalmente nas regiões onde há falhas no acesso à cultura, devido a falta de iniciativas do poder público, seja em espaços como escolas, bibliotecas públicas ou associações de moradores.

Esses incentivadores da leitura fazem tudo o que podem e com recursos minímos para estimularem o hábito da leitura. e garantir a educação. Para ajudar essas iniciativas tão necessárias, o Itaú Cultural lançou a pesquisa "O Brasil que lê", que consiste em um mapeamento e análise de projetos de formação de leitores e mediadores em todos os Estados brasileiros. Segundo o site do projeto, lançado em novembro de 2020 em parceria com o Instituto Interdisciplinar de leitura da PUC-RIO, tem como objetivo dar visibilidade às ações que estão reconstruindo a sociedade brasileira através da leitura e da cultura, compartilhando conhecimento e apoiando a formação contínua de leitores no país. 

A pespectiva é que a pesquisa recolha projetos de leitura e apresente um levantamento sobre práticas, perfis de mediadores, uso de tecnologia da informação e comunicação em promoção da leitura, além de um mapeamento histórico, geográfico e social dessas ações. Quem realiza ou reconhece algum projeto desse tipo deve inscrevê-lo no site O Brasil que lê. A partir daí os pesquisadores da PUC-RIO utilizaram questionários e entrevistas virtuais avaliando ainda a possibilidade de realizações de visitas locais aos projetos, de acordo com as condições da covid -19.

"Os diferentes nichos de informações apuradas pelo trabalho serão fundamentais para a compreensão do que é feito para promover a leitura em nosso país e podem apontar possibilidades e demandas que orientem futuras ações e investimentos. Os resultados dessa pesquisa serão publicados e divulgados conjuntamente pelas instituições parceiras. Buscar conhecer é o primeiro passo", diz o site do projeto, que em seu lançamento convidou vários desses espaços culturais para participarem da pesquisa, inclusive no Pará.

Iniciativas como a do Espaço Cultural Nossa Biblioteca, que atua há 43 anos no bairro do Guamá, é realizado um trabalho incansável para que Belém - PA siga ocupando essa posição de destaque no cenário nacional de leitores. Para Valdecira Maciel, uma das coordenadoras do espaço, a pesquisa "O Brasil que lê"  é importante para que essas iniciativas em todo o país se comuniquem e criem uma rede de colaboração. 



"Eu acredito que essa pesquisa do Itaú Cultural será em uma proporção maior, até porque eles têm recursos. Isso é muito importante, pois às vezes a gente tem um trabalho aqui no Guamá, na Região Amazônica, e a população do Centro Oeste, por exemplo, está fazendo a mesma coisa, mas não sabemos. Então isso estreita a relação entre os fazedores de cultura", conta Valdecira, que reforça que os dados computados em uma pesquisa desse tamanho também podem ser usados para cobrar mais incentivos do poder público a esses espaços culturais. 

"Nós trabalhamos nesse sentido, pois formar leitores amplia a visão de mundo das pessoas. Começamos na década de 70, e do ano 2000 pra cá focamos na fornação de novos leitores e permanência dos antigos, porque somente com mais leitores talvez a gente consiga melhorar a situação de miséria que nossa população vive, com um foco menos emocional e mais político", diz Valdecira Maciel ao reforçar a transformação social proporcionada por uma biblioteca no lugar certo, pois como diria o autor americano Henry David Thoreau, "Muitos homens iniciaram uma nova era na sua vida a partir da leitura de um livro".
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »