19/02/2021 às 03h10min - Atualizada em 19/02/2021 às 02h03min

A vida imita a arte: símbolo de Jogos Vorazes fica popular em protestos de Mianmar

País do sudeste asiático sofre golpe militar após 11 de governo democrático

Sara Moreira - Editado por Roanna Nunes
FOTO: REUTERS/STRINGER
Era setembro de 2008, início de primavera, e o primeiro livro da trilogia “Jogos Vorazes” estava sendo lançado. A saga logo se torna um sucesso e são lançados mais dois livros, intitulados “Em Chamas” e  “A Esperança” respectivamente. O enredo dos três livros é narrado em primeira pessoa pela personagem Katniss Everdeen, e se passa num futuro pós-apocalítico, onde os Estados Unidos já não existem mais.
 
Em seu lugar, ergueu-se Panem, um grande país com um governo centralizador que explora seus cidadãos enquanto os separa em doze distritos por castas mais e menos importantes, com privilégios e deveres bem delimitados. Sendo assim a Capital o grande centro econômico do país. Uma das formas com que demonstra seu poder sobre o resto do país é por meio dos Jogos Vorazes, uma competição anual transmitida ao vivo pela televisão, em que um garoto e uma garota de cada distrito são selecionados e obrigados a lutar até a morte! A saga ficou marcada por mostrar uma heroína independente que enfrenta um governo ditatorial além de servir de inspiração para uma revolução. 
 
Os livros são repletos de simbolismos e referências históricas, seja com a revolução americana ou com as arenas de luta em Roma. Um dos símbolos que mais chama a atenção é responsável pelas cenas mais comoventes dos filmes: o cumprimento do Distrito 12, um sinal de respeito. Ele é semelhante a um gesto que gregos antigos costumavam fazer para afastar o mal, posicionando três dedos sobre o coração e depois levantando-os para o alto. Em Jogos Vorazes, o governo vê o gesto como uma afronta e uma forma de rebelião, pois as pessoas o fazem para demonstrar que veem a Capital como um mal, mesmo sem dizer diretamente.
 

 
Mianmar, um país localizado no sudeste asiático ganhou destaque na manhã de 1 de Fevereiro desde ano ao ter sua conselheira de Estado Aung San Suu Kyi e outros líderes de seu partido Liga Nacional para a Democracia (LND) foram detidos pelo exército do país, que declarou estado de emergência de um ano. O país teve sua frágil democracia abalada por um golpe militar.
 
Em 1948 Mianmar antiga Birmânia se torna independente do domínio colonial britânico, apenas 14 anos depois em 1962 o país sofre um golpe de Estado que levou os militares ao poder. Durante quase cinco décadas, o país asiático foi mantido sob uma autoritária ditadura militar. Em 2010, um partido associado aos militares, o Partido União, Solidariedade e Desenvolvimento (UDSP, na sigla em inglês), venceu as eleições gerais. Durante a gestão do UDSP, foram conduzidas algumas reformas que possibilitaram a abertura democrática no país.
 
Em 2015, foram realizadas eleições gerais e o resultado significou uma expressiva vitória para o LND. Com isso, Aung San Suu Kyi ascendeu como Conselheira de Estado, tornando-se a governante de fato do país. Aung ficou internacionalmente conhecida pelo Nobel da Paz que ganhou em 1991, enquanto estava presa. Ela permaneceu em cárcere a mando dos militares de 1989 até 2010, quando foi libertada no processo de abertura democrática do país.
 
Aung San é um símbolo democrático em Mianmar, mas recentemente sofreu muitas críticas por sua conduta na chefia do país. Em carta escrita antes de ser detida, Suu Kyi afirmou que as ações dos militares colocaram o país novamente sob a ditadura. E pediu a seus partidários "que não aceitem isso e protestem contra o golpe". Os militares, suspenderam uma série de direitos da população, como o acesso de celulares à internet. Isso tudo como tentativa de silenciar os protestos.
 
Agora em 2021 com os militares de volta ao poder após 11 anos de democracia a população de Mianmar se rebela e vai as ruas contra seus ditadores. Como é dito na famosa frase de Oscar Wilde: “a vida imita a arte mais do que a arte imita a vida”. O símbolo que marca os protestos dos Birmaneses é o mesmo que ficou popular com a franquia “Jogos Vorazes”, fazendo um sinal com as mãos, dedos indicador, médio e anelar apontados para o alto. Assim como no livro o símbolo é usado pela população para contestar o governo tirânico.
 

 
Mianmar não foi o primeiro país a usar esse símbolo como forma de revoltas populares. Em 2014 na Tailândia, a saudação de três dedos ficou famosa nos protestos pró-democracia no país, que viveu sob regime militar entre 2014 e 2019. As manifestações eram organizadas na internet com dias e horas marcados. Na época, os militares chegaram a prender manifestantes que se recusassem a abaixar os dedos. 
 
A China foi outro país que contou com o símbolo nos atos de manifestação popular. Em Hong-Kong, o sinal era uma forma de manifestação de desobediência civil. Esse protesto visava a luta pelas eleições abertas na ilha que é um território autônomo.
 
Nessas manifestações um dos slogans que mais ficou famoso foi: “Se nós queimarmos, vocês queimaram conosco”, frase dita pela heroína Katniss Everdeen em Jogos Vorazes.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »