29/05/2019 às 12h56min - Atualizada em 29/05/2019 às 12h56min

Um breve relato sobre a Speak Yourself Tour

Carolina Rodrigues - Editado por Bárbara Miranda
CRÉDITOS: Carolina Rodrigues
Durante o último final de semana de maio, o grupo sul coreano BTS veio ao Brasil – único país da América Latina – numa sequência de shows nos dias 25 e 26. A experiência superou as expectativas e fez milhares de fãs se debulharem em lágrimas em várias músicas. Comigo não podia ser diferente.

Os meses que antecederam a Speak Yourself Tour do BTS foram marcados por muita ansiedade. Ver a quantidade de pessoas acampando em frente ao Allianz Parque (estádio que sediou o show) era um dos motivos para tamanha apreensão. Não saber o que aconteceria, já que não tinha ninguém para me acompanhar era outro fator. Eu desejava que os meses se arrastassem, porque não queria ir ao show – tinha em mente que se o dia chegasse, o tempo passaria muito rápido. Queria ficar ali, na companhia dos sete membros do BTS, por muitas horas, dias, meses, quem sabe anos.

Demorou muito tempo para cair a ficha. Foi só quando os meninos entraram no palco, durante a passagem de som, que finalmente entendi estar há poucos metros de distância deles. Eles eram reais, afinal de contas! REAIS! E estavam ali na minha frente, ensaiando algumas músicas do show. Eles atravessavam a passarela enquanto tentavam interagir com algumas fãs. Um misto de choro, grito e muito amor tomavam conta do ar. Caramba, eles existiam de verdade!

No meio da confusão de braços e corações recortados para projetos organizados pelas Armys me encontrei apreensiva, muito feliz, chorando, porque o sentimento de uma fã é muito intenso, ainda mais quando se fala em fãs brasileiros. Nós somos pirados e animados num nível infinitamente maior que as gringas. É surreal.

Algumas pessoas que estavam espremidas na grade do soundcheck passaram mal e precisaram sair do lugar onde estavam. Não precisei que isso acontecesse comigo para perceber que não queria ficar apertada como um atum enlatado durante todo o show. Eu já estava num lugar bom. O espaço do soundcheck era enorme e comportava mil pessoas de cada lado da passarela e do palco. Era o setor mais próximo dos meninos – e o mais caro também, diga-se de passagem, por todo meu dinheiro que foi embora (mas não foi uma perca de dinheiro. Pelo contrário. Valeu cada centavo). Era engraçado porque, por maior que fosse o espaço, quase todo mundo tentava se enfiar no meio da "muvuca" com o objetivo de alcançar a grade ou até mesmo ser notado por algum dos membros.

Eu não queria ficar ali de jeito nenhum. Por isso, me afastei, fiquei num lugar bom que me permitiu até tentar arriscar alguma coreografia aqui e ali.
 

Visão do palco pelo soundcheck | FONTE: Carolina Rodrigues
 
Quando BTS entrou no palco com Dionysus, toda aquela ansiedade dos meses anteriores se dissipou e deu lugar a muito amor. Meu coração se preencheu com muita alegria por estar, de verdade mesmo, no estádio pertinho deles.

Excepcionais, é o adjetivo que lhes dou. As músicas, as coreografias, tudo impecável. A produção do show foi brilhante, muito bem executada. Não foi um momento qualquer. Todo detalhe foi pensado com minuciosidade, pensado para agradar às Armys. Jatos de água em Just Dance, labaredas em Mic Drop, bolhas de sabão em Serendipity e um Jungkook em Euphoria voando por todo o estádio deixaram todos embasbacados. E foi emocionante quando algum dos membros se arriscaram a falar em português.
 

BTS durante a coreografia de Boy With Luv. Essa era a visão direta do soundcheck para o palco com zoom máximo no celular. Mesmo assim, estavam bem pertinho das fãs | FONTE: Carolina Rodrigues
 
Esse show foi importante porque marca mais uma era de BTS e toda a evolução que eles tiveram desde o debut. Engraçado foi quando a passagem de som acabou e alguns MVs começaram a ser exibidos no telão. O primeiro foi We Are Bulletproof pt.2, uma das primeiras músicas do grupo e a que me fez me apaixonar por BTS. Ali mesmo não me aguentei e chorei pela segunda vez. É muito bonito ver todo o amadurecimento de cada um dos membros e sentir como o nosso amor por eles é retribuído de forma sincera. Durante todo o show, ficou claro o quanto somos importantes para eles assim como eles são importantes para nós. É impalpável, difícil descrever todo esse amor em palavras. Mas ele existe, é intenso e verdadeiro. 

Como em Best of Me, eles carregam o que há de melhor em nós, assim como os fãs têm o que há de melhor em cada um deles. Como em Mikrokosmos, nossas galáxias pessoais se interconectam. Nós temos um brilho tão incrível capaz de aquecer o mundo inteiro, assim como aconteceu durante as quase duas horas de show.

Com certeza, a Speak Yourself Tour foi um momento inesquecível para todas as Armys brasileiras. 
 

Último momento do show. "Um agradecimento especial para nossa maior voz: Army" | FONTE: Carolina Rodrigues

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »