18/06/2021 às 15h40min - Atualizada em 17/06/2021 às 21h30min

Tons de pele negra conquistam espaço na indústria de maquiagens

Marcas nacionais quebram estereótipos e desenvolvem produtos de maquiagem exclusivos para pele negra, o acesso que antes era raro, hoje se tornou acessível

Melissa Pinheiro - Editado por Yuri Anderson
Foto: Reprodução/Instagram
O Brasil é um país marcado pela diversidade. De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) 56,1% da população geral se autodeclaram pretos. No entanto, são negros, brancos, pardos e amarelos compondo a sociedade e dividindo o mesmo espaço. É por isso que a indústria cosmética deve desenvolver maneiras de atender todas as raças e etnias igualitariamente. Mas, na prática isso realmente acontece?
 
Estamos no caminho! Resultado de anos de luta e manifestações reivindicando a igualdade entre todos, de acordo com o Portal Brasil de Fato, a indústria passou a entender negros enquanto público consumidor de maquiagem há cerca de quatro anos. Portanto, empreendedores do ramo cosmético dispõem cada vez mais produtos exclusivos para os diversos tons que a pele negra possui, partindo do mais claro ao mais retinto.
 
Entretanto, nem sempre o cenário foi inclusivo. No passado, os produtos não possuíam variedades para atender os consumidores negros. Segundo especialistas, a dificuldade em encontrar itens essenciais na maquiagem - como base, pó e corretivo - que se encaixassem adequadamente na pele, era extrema.


 
Maquiadora há cerca de 7 anos, Lidyanne (@lidy.make) conta que no começo da carreira teve que lidar com problemas relacionados aos produtos. “Eu tinha muita dificuldade, quando se tratava de pele negra a maioria das vezes a base avermelhava, oxidava e não ficava no tom   certinho” diz a profissional.

 
Sempre baseados no tom de pele branco, a maioria dos cosméticos lançados eram oferecidos   apenas  em tons claros ou com fundos frios, dando um aspecto acinzentado à pele escura. Dificultando assim  o  acesso para Fran Silva, consumidora e apaixonada por maquiagem. “Por muito tempo eu tive  dificuldades para encontrar uma base, ou um pó que fosse do meu tom. Sempre era muito claro, o que  deixava minha pele branca ou cinza” disse.
 
Em entrevista, a maquiadora Lidyanne nos relatou que algumas de suas clientes também já passaram por situações desconfortáveis em relação às produções em pele negra. Segundo a profissional, muitas se mostraram receosas ao contratarem seus serviços pois se sentiam frustradas.  









INCLUSÃO
 
Marcas nacionais e internacionais fundadas por empreendedores que sentiram na pele a exclusão e a falta de produtos adequados, foi o que contribuiu para que o mercado se tornasse inclusivo. Criada pela cantora Rihanna em parceria com a Kendo Brands, do grupo LVMH, as maquiagens da marca Fenty Beauty estão presentes no Brasil por meio de um acordo de exclusividade com a Sephora.

Segundo a artista, o objetivo da marca cosmética é incluir todas as pessoas, de todos os lugares, para que elas se sintam representadas do jeito que são. “Criei a Fenty Beauty porque queria fazer uma marca de beleza inclusiva, para todas as pessoas em todos os lugares. Quero que todos se sintam bonitos, reconhecidos e empoderados, não importa sua etnia, cultura, tom de pele ou estilo”, declarou a artista.
 
Profissionais da área afirmam que o mercado para peles negras está crescendo. Lidyanne cita as marcas que disponibilizam diversos tons. “Tem muitas marcas novas que estão trabalhando, abrindo um leque de cores. Tem a Boca Rosa, Dride, MAC, Bruna Tavares, todas elas trabalham como uma gama de cores bem abertas. Muitas e muitas marcas oferecem produtos de qualidade de todos os tons.”
 
Além de todas as marcas citadas por Lidy, e daquelas gigantes do ramo – como Avon e Natura que hoje têm em seus catálogos tonalidades que atendem as peles retintas - a empresa Negra Rosa se destaca no país. O empreendimento começou quando a administradora Rosangela da Silva percebeu a dificuldade de acesso que ela mesma tinha para maquiagens. A partir daí, junto com uma amiga, Rosangela pensou em abrir um negócio voltado exclusivamente para as peles negras. 
 
Hoje a Negra Rosa está presente em cerca de 14 estados e trabalha com produtos como sombras, batons e bases. Para a fundadora, aumentar a autoestima da mulher negra é uma das principais preocupações de sua marca. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Negra Rosa Cosméticos (@rosanegrarosa) REPRESENTATIVIDADE


REPRESENTATIVIDADE  
 
Com os avanços tecnológicos e o crescimento do mundo digital, a presença de representantes negros que tratem do assunto, também foi essencial para essa conquista. Com bom humor e talento Juliana Luziê e Samyra Priscila são influencers do ramo e fazem questão de mudar a narrativa racista enraizada no país. Elas provam que é possível produzir uma maquiagem bonita em peles negras, basta usar produtos adequados e desenvolver as técnicas corretas.

 
 

NA PRÁTICA

Está com dificuldades para encontrar um produto adequado para o seu tom de pele? Pega caneta e papel e anote essas dicas!
1. Não teste o produto no rosto. Sim! O local certo para teste é no colo;
2. Aguarde pelo menos 30 minutos, a maioria dos produtos oxidam. Ao aguardar você saberá se a cor irá mudar ou não;
3. Escolha o produto mais próximo do seu tom de pele. 

Pronto. Agora é só arrasar com sua make!

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »