20/06/2021 às 22h10min - Atualizada em 20/06/2021 às 12h00min

O desrespeito às normas de vacinação no estado de Minas Gerais

O desvio desses insumos e o desrespeito à ordem de vacinação pode configurar em diversos crimes

Daniel Maia - Editor: Ronerson Pinheiro
Foto: Vacina contra Covid-19 - Reprodução: Getty Images via BBC
Mais de 2.300 denúncias de irregularidades na vacinação no estado. É o que aponta um relatório divulgado pelo Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) sobre incorreções na fila da imunização contra a Covid-19. Diante do alto número de ocorrências a Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), por meio do Deputado estadual Agostinho Patrus (PV), instaurou um pedido de inquérito através da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) presidida pelo deputado João Vitor Xavier (Cidadania) para investigar os fura-filas, como o ex-secretário de saúde do estado Carlos Eduardo Amaral vacinado indevidamente. De acordo com o Ministério Público de Minas Gerais, o desvio desses insumos e o desrespeito à ordem de vacinação pode configurar em diversos crimes, como abuso de autoridade, corrupção ativa ou passiva, peculato e concussão.

Canal Coronavírus

Criado pela Ouvidoria-Geral do Estado de Minas Gerais (OGE/MG), O Canal Coronavírus, é o meio no qual a população pode registrar manifestações sobre à Covid-19. Na intenção de coibir interferências e o desrespeito à estratégia de vacinação, o Governo de Minas vem adotando medidas mais severas. Através da OGE/MG e da Controladoria-Geral do Estado (CGE/MG), a determinação é que, sejam cumpridos as regras e os critérios de imunização adotados pelo Ministério da Saúde no Plano Nacional de Imunização (PNI). O cidadão encontra o Canal Coronavírus através do site ouvidoriageral.mg.gov.br e através do aplicativo MG App Ouvidoria, Disque-Ouvidoria no número 162, Disque-Saúde pelo número 136, além do WhatsApp (31) 99802-9713.

Além do Canal Coronavírus

Para denunciar irregularidades o agente deve relatar o fato com todas as informações, como data, nome dos envolvidos e local da ação. Documentos, mensagens, vídeos ou áudios que comprovem a fraude também podem ser usados. O cidadão pode utilizar a Ouvidoria ou site do MPMG, Disque-Denúncia pelo número 127, ir pessoalmente em uma das unidades da Promotoria de Justiça (veja aqui), Ministério Público de Minas Gerais, Superintendência de Comunicação Integrada, Diretoria de Imprensa, como em todas as redes sociais do MPMG.


Editora-chefe: Lavínia Carvalho. 
 
 



 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »