02/07/2021 às 16h02min - Atualizada em 02/07/2021 às 15h35min

Artur Xexéo: escritor e jornalista morre aos 69 anos

Caminhos trilhados no jornalismo, na literatura e dramaturgia

Adélia Lima Sá - Editado por Andrieli Torres
Artur Xexéo Foto: Divulgação / GloboNews
Uma vida dedicada à escrita de livros, ao ramo jornalístico e a defensoria da cultura brasileira. Assim, a vida de Artur Oscar Moreira Xexéo foi baseada, enquanto escritor e jornalista brasileiro. Artur foi diagnosticado com um linfoma não Hodgkin de células T  há menos de duas semanas atrás e veio a falecer aos 69 anos, no último domingo (27), comovendo amigos, familiares e admiradores do trabalho dele.

O jornalismo entrou na vida do carioca como segunda opção e com pouco tempo se tornou a única e melhor escolha. E a sua trajetória na profissão ficou conhecido por trabalhar em grandes veículos de comunicação, como por exemplo ‘O Globo’, onde foi colunista.

No universo da literatura, muitos foram seus escritos que merecem ser destacados, compartilhados e lidos. Com uma escrita irreverente, verdadeira e singular ele conquistou um público fiel que rendeu boas publicações, principalmente biografias de grandes símbolos. Dentre seus livros, destaca-se:
  • A Usineira de Sonhos (1996)
  • Liberdade de expressão (2003)
  • O Torcedor Acidental (2010)
  • Hebe – A biografia (2017)
Ele tinha um cuidado especial com cada um de seus escritos, isso acontecia porque ele pensava com carinho em seus leitores e sempre mantinha uma boa relação com seu público. Em uma de suas entrevistas ele chegou a afirmar que:

"Tudo que eu faço, o que eu edito, o que eu escrevo, é em nome do leitor. Então, eu acho que ele tem o direito de reivindicar, de gostar, de não gostar, de reclamar, de escrever, de se colocar, de se posicionar, eu gosto de participar dessa troca.”

A vida dele foi cheia de grandes acontecimentos, nas mais variadas áreas, pois além da escrita e do jornalismo ele dedicou-se a dramaturgia. No teatro, escreveu os seguintes musicais: 'A Garota do Biquíni Vermelho' (2010) e 'Sempre Teremos Paris' (2012), tendo destaque a um de seus últimos espetáculos escritos foi “Bibi, uma vida em musical”, em homenagem à diva do teatro Bibi Ferreira. Além do teatro esteve na também televisão, criou o roteiro de seriados como 'Pé na Cova' (2013) de Miguel Falabella.

Xexéu foi um grande nome do Jornalismo Cultural, sempre priorizando as raízes e grandes personalidades brasileiras. O escritor e jornalista deixou seu então companheiro, Paulo Severo e milhares de admiradores, sem contar no grande acervo de escritos e feitos. 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »