13/07/2021 às 18h08min - Atualizada em 13/07/2021 às 15h01min

Friends: Reunion não é o que os fãs queriam, mas funciona muito bem

A aclamada sitcom ganhou um especial para o HBO Max, onde todo o elenco se reúne para reviver memórias dos bastidores

Maximiano Sousa - Editado por Ana Terra
Friends é uma das maiores séries de todos os tempos, com milhões de fãs que estavam carentes desde o seu encerramento, em 2004. 17 anos depois do final da série, os protagonistas Jennifer Aniston, Courteney Cox, Lisa Kudrow, Matt LeBlanc, Matthew Perry e David Schwimmer finalmente se reúnem novamente para uma última discussão. Friends: Reunion foi feito após um imenso desejo dos milhões de fãs da série espalhados pelo o mundo. É um especial caloroso, que, pode não ser o que os fãs tanto queriam, mas funciona muito bem como dose de nostalgia. Ver o sexteto junto no set de gravações é uma ótima experiência.
Reprodução: HBO Max

Reprodução: HBO Max


Enquanto muitos ansiavam por um novo episódio ou, até mesmo, um filme, fomos agraciados com algo mais voltado para um documentário, onde os atores relatam a suas experiências e relembram os bastidores das gravações do seriado. Dito isso, aparenta que a HBO Max fez somente o mínimo para realizar o desejo dos fãs, colocando todos os atores para conversar, enquanto tocam em assuntos que trazem à tona boas lembranças. É nessa parte, aliás, que o especial acerta. Apostar no fator nostalgia faz com que nossas emoções reajam às lembranças dos bons momentos proporcionados pelo seriado ao longo de todas as 10 temporadas, fazendo com que gostemos mais da nova produção.

Entretanto, pode frustrar as expectativas de quem queria ter novamente a sensação única que o seriado proporcionava: identificação. Em determinado momento, esse ponto é citado pelos criadores da série, David Crane e Marta Kaufman, quando dizem que as temporadas foram feitas em um momento específico na vida daqueles personagens, logo, juntar todos novamente para um novo episódio poderia soar ruim narrativamente.

Tudo isso dá a impressão de que é apenas uma desculpa usada para fazer o que bem entendiam, mas isso não é exatamente um problema, já que não devemos julgar uma obra pelo que ela não se propõe. Porém, a reunião de elenco pareceu ser roteirizada demais, talvez pelo fato de que, em determinado momento, eles usarem um intermediador para dar fluxo à conversa, como uma entrevista. Não se pode pôr toda a culpa no apresentador James Corden, mas não seria mentira dizer que ele é desnecessário para o evento, já que não era ele o foco. As diversas participações especiais também pareceram sobrar durante suas interações. Algumas delas foram bem encaixadas, como a Lady Gaga cantando com a Phoebe (Lisa Kudrow) e, num momento inusitado, Justin Bieber utilizando a fantasia de Halloween do Ross (David Schwimmer) — apesar de ter sido bem estranho —, já outras deixaram a entender que só estavam lá por serem figuras famosas, como o David Beckham, por exemplo.


Mas tudo isso se apequena quando comparado a todos os bons momentos e lembranças únicas que Friends nos deixou. No final das contas, a reunião serviu muito bem o seu propósito, que era relembrar essa grande série, que apesar de ter sido produzida a tanto tempo, continua a impactar os espectadores até os dias de hoje, sendo passada de geração em geração.

REFERÊNCIAS:
SABAGGA, Julia. Friends: The Reunion se distancia do íntimo, mas aquece o coração do fã. Omelete, 2021. Disponível em: <https://www.omelete.com.br/series-tv/criticas/friends-the-reunion-critica>. Acesso em: 23 de junho de 2021.
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »