10/09/2021 às 09h26min - Atualizada em 10/09/2021 às 09h17min

Madre Teresa de Calcutá: canonizada há 5 anos

Uma mulher que dedicou sua vida aos mais pobres dos pobres

Ianna Oliveira Ardisson - Editado por Larissa Bispo
Fonte/Reprodução: Google
Madre Teresa de Calcutá, uma das maiores personalidades do catolicismo, foi canonizada em 4 de setembro de 2016. A canonização é o reconhecimento da pessoa como santa pela igreja católica e percorre-se um longo caminho até ser concretizada. É um assunto tratado por uma comissão de altos membros e precisa ter a aprovação final do Papa. Quando é admitido o início do processo, a pessoa recebe o tratamento de “Servo de Deus”. O primeiro passo, porém, é investigar sobre a vida, virtudes ou martírio, a fama de santidade e milagres atribuídos. Depois de várias comprovações e reconhecida a prática das virtudes em grau heroico declara-se o Servo de Deus “Venerável”. O passo seguinte é a “Beatificação”, a qual ocorre após a verificação de um milagre atribuído à intercessão daquele Venerável. O processo de canonização é concluído quando se comprova mais um milagre pela intercessão do Beato. Uma pessoa comum, que dedicou sua vida a Deus, torna-se assim mais um santo pertencente a igreja católica após um longo e minucioso processo.
 
Uma mulher albanesa, nascida em 1910, vivia com seus pais e irmãos, uma irmã e um irmão, sendo elas a caçula deles. Ainda bem jovem, aos 18 anos, certa de sua missão religiosa, ingressou na Casa Mãe das Irmãs de Nossa Senhora de Loreto, na Irlanda. Foi em 1929 que a jovem chegou à Índia, onde pretendia desenvolver seu chamado divino. Essa jovem, Agnes Gonxha Bojaxhiu, em maio de 1931 fez votos de pobreza, castidade e obediência, recebendo então o nome de Teresa, nome pelo qual é mundialmente conhecida.
 
Teresa entendeu que sua missão era ajudar aos pobres e doentes. Para que estivesse melhor preparada, passou um tempo com as irmãs da Missão Médica para ter condições de prestar auxílio aos enfermos. O “Dia da Inspiração” foi o momento em que ela se deparou com a necessidade de um irmão pobre de rua e conta-se que foi a partir daquele instante que ela teve clareza de que iria dedicar toda sua vida aos mais pobres dos pobres.
 
Em 1948 recebeu permissão para iniciar seus trabalhos junto aos pobres das ruas de Calcutá. Ela reuniu um grupo de crianças num bairro pobre e começou a dar aulas e rapidamente foi crescendo o número de atendidos. Em 1950 a congregação fundada por Teresa, Missionárias da Caridade, foi aprovada pela Santa Sé e expandiu-se por toda a Índia. Madre Teresa teve uma vida dedicada a ajudar ao próximo, falecendo em 1997, aos 87 anos, após sofrer uma parada cardíaca.
 
O milagre pelo qual Madre Teresa foi canonizada pelo Papa Francisco foi a cura de um brasileiro em 2008: Marcílio Haddad Andrino estava em coma devido a abscessos no cérebro e hidrocefalia. A Igreja Católica aprovou por unanimidade a cura dele. Sendo assim, Madre Teresa foi proclamada santa em 2016.
 
Exatamente por ser uma pessoa comum, que viveu em sociedade como cada um de nós, existem algumas críticas em relação a Madre Teresa. Contesta-se, por exemplo, a origem do dinheiro das doações que recebia, dizem que recebia dinheiro de ditadores e outras pessoas de má fama. Além disso, questionam o destino dado ao dinheiro, o qual parecia ser usado para a expansão das obras e não para a melhoria das condições de atendimento aos doentes como seria desejável.
 
É notária a importância de Madre Teresa e as boas ações que fez a tantos. Foi uma líder em seu tempo e deixou seu legado. A congregação “Missionárias da Caridade”, com o objetivo de auxiliar aos mais pobres e de viver a caridade no dia a dia, continua suas obras atualmente. Uma conhecida frase da Santa Teresa de Calcutá serve de inspiração para todos nós, principalmente, nesses dias difíceis que temos vivido: "Não usemos bombas nem armas para conquistar o mundo. Usemos o amor e a compaixão. A paz começa com um sorriso".

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »