11/10/2021 às 20h02min - Atualizada em 11/10/2021 às 19h53min

Quebra de padrões permite desconstrução da moda masculina e sua expansão no mercado

Desconstrução da visão tradicional do homem, aumenta o consumo da moda masculina

Fernando Lopes - Editado por Larissa Barros
Divulgação / C&A

A Moda masculina no século XIX pode ser classificada como um momento decisivo nessa indústria e na formação da identidade de gênero. Os homens usavam roupas mais formais como terno, colete, golas, casacos, cartolas, chapéus e  bengalas, delimitando os contornos daquilo que tradicionalmente era considerado a postura masculina da época. Contudo, a partir da segunda metade do século XX o modelo tradicional de identidade masculina, até então construído e baseado em estereótipos tradicionais, passou a ser questionado. 

 

Há uma grande quebra de padrões na moda entre os séculos seguintes, onde os homens do século XX andavam trajados de terno e no XXI eles começam a expressar suas identidades através da moda. Como reflexo desse processo de desconstrução da visão tradicional do homem, o consumo e atenção pela moda masculina ascenderam. Figuras como Prince, Dennis Rodman, Jaden Smith, Harry Styles contribuíram para a quebra de padrões da moda masculina.

 

Prince fez muito sucesso no mundo da música e, com a mesma intensidade, fez história na moda. Nos anos 80, ele se tornou um ícone da diversidade em relação a sua imagem, eternizando tendências e sendo pioneiro na intersecção entre androginia e moda. O estilo de Prince mudou para sempre a relação entre gênero e moda, trazendo luz e abordagens sobre pautas silenciadas por estereótipos.

 

Dennis Rodman, ex-jogador de basquete pelo Chicago Bulls, foi um ícone dentro e fora das quadras. Inúmeros fatores contribuíram para se tornar referência nos anos 90, todavia, o mais importante sem dúvidas foi sua autenticidade. Demonstrando personalidade e resistência aos esteriótipos sociais, ele exibia inúmeras tatuagens, trazia unhas e cabelos coloridos, além de uma visão única e desconstruída sobre as roupas que usava.

 

No mundo da música, o crescimento de Jaden Smith, filho do ator Will Smith, foi acompanhado da evolução do seu estilo, que no início tinha uma pegada "rapper" com as tradicionais peças largas. Em 2016, ele estrelou a campanha feminina SS16 da Louis Vuitton, onde apareceu vestindo saia ao lado das modelos do gênero feminino. Para Jaden, a roupa não deve definir nosso gênero. Ele acredita que possui a liberdade de explorar a moda sem julgamentos, fatores que guiam o seu estilo e da geração dos millenials. 

 

Sendo um dos maiores ícones da moda masculina atual, o cantor Harry Styles desafia padrões de gênero e não se importa com as definições das chamadas roupas "masculinas" e "femininas". Parte dessa mudança para um estilo sem gênero de Harry se dá pelo stylist Harry Lambert. Em junho de 2018, Alessandro Michele, diretor criativo da Gucci, convidou Styles para ser o novo rosto de suas campanhas. No BRIT Awards de 2020, o cantor chegou a usar em um terninho amarelo da coleção feminina do Marc Jacobs. Já em dezembro do mesmo ano, Harry apareceu de vestido longo e saia na Vogue.

 

O estilista Vitor Becker, 23 anos fala sobre o mercado da moda e sua expansão e afirma ter percebido que a moda masculina "deu mais espaço para as pessoas dentro desse mercado.
 

“Sinto que a moda masculina ao invés de ganhar espaço no mercado ela deu mais espaço para as pessoas no mercado, desde oportunidade de compra até representatividade…Pessoas ligadas em questões de gêneros estão tendo mais liberdade para usar roupas masculinas, femininas, unissex ou sem nenhuma convenção de gênero at all, como as roupas sem gênero, que hoje está presente em boa parte das marcas novas no mercado” disse.

 

As marcas de moda estão investindo cada vez mais no mercado masculino, que está se expandindo mais rápido do que o feminino à medida que os estilos ficam mais descontraídos e peças de streetwear, como moletons, conquistam novos públicos. No cenário do luxo, grifes de moda como os conglomerados franceses LVMH e Kering estão entre os que estão contratando estilistas como Virgil Abloh e Alessandro Michele investindo em roupas para o gênero masculino. 

 

Ao mesmo tempo, a Balenciaga, marca do grupo Kering que cresce em ritmo acelerado, afirma que os homens estão entre seus maiores consumidores, assim como os millennials. Esse crescimento se deve ao fato de homens estarem dando mais importância à aparência, além da mudança nos padrões de moda. 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »