22/10/2021 às 18h43min - Atualizada em 22/10/2021 às 18h20min

O papel do Jornalismo na preservação da democracia

Como a trajetória de Maria Ressa e Dmitry Muratov revelam a resistência e o combate à desinformação

Kayllani Lima Silva - Editado por Larissa Bispo

Ao assistir o noticiário, ler o jornal ou simplesmente checar as trends do Twitter, não temos o hábito de pensar nos bastidores da informação. Mas é justamente nesse making off  que encontra-se o jornalismo. Longe de ser apenas uma produtora de notícias, essa profissão é também um dos principais caminhos para a denúncia de violações sociais e manutenção da democracia. 

Não impressiona que os jornalistas Maria Ressa e Dmitry Muratov tenham ganhado o Prêmio Nobel da Paz deste ano. Com suas trajetórias marcadas pela resistência e combate à desinformação, os laureados revelam que informar é uma forma eficiente de diplomacia. Afinal, oferecendo o diálogo em detrimento da disputa, o comunicador preenche lacunas e evita grandes transtornos. 

Prêmio Nobel 

Na estrada pela fraternidade e paz mundial, o Nobel da Paz é uma das cinco categorias do Prêmio Nobel. Aclamado tanto quanto o Oscar, maior premiação mundial do cinema, ele reconhece as principais contribuições para o avanço da Química, Medicina, Física, Literatura e Paz. 

O que poucos sabem, no entanto, é que o idealizador do Nobel era autodidata e possuía muito talento na produção de explosivos. Alfred Nobel (1833-1896) nasceu na capital da Suécia, Estocolmo, e dedicou sua vida ao desenvolvimento de técnicas de explosivos. 

Hoje Nobel é conhecido por ser o inventor da dinamite, composto que fortaleceu a produção de armamentos, construção de estradas e erupção de minas. Infelizmente, ele não conseguiu evitar o uso do seu trabalho em  prol do avanço das guerras e conflitos ao redor do mundo. 

Nesse sentido, em 1896, Alfred assinou seu testamento e determinou que toda sua fortuna deveria ser entregue, anualmente, aos indivíduos com mais serviços prestados à humanidade.  Em 1900, quatro anos após a morte do inventor, foi criada a Fundação Nobel.

Novos marcos na história 

Neste ano, Maria Ressa e Dmitry Muratov entrataram para a história dos laureados pelo evento, dividindo espaço com outras grandes personalidades como Malala Yousafzai, ativista em defesa da educação e Direitos Humanos, e Abdulrazak Gurnah, escritor com enfoque na questão dos refugiados.  

Aos 58 anos, Maria Ressa coleciona e tece um trabalho digno de admiração, inspiração e reconhecimento. A filipina se formou em 1986 e há mais de 35 anos entra em combate pelo jornalismo honesto e pautado nos fatos. Além da experiência como repórter investigativa na CNN, ela é (co) fundadora do portal de notícias Rappler

O Rappler foi criado em 2012. Na contramão do governador autoritário do país, Rodrigo Duterte, o portal de notícias defende a luta pela  liberdade de imprensa e oposição à divulgação de fake news. Entre as polêmicas que já desmentiu está o relato de prosperidade das Filipinas ao longo do regime de Ferdinand Marcos, que perdurou de 1965 a 1986.

Com diferenças na trajetória, mas apresentando os mesmos anseios pela liberdade de expressão, está Dmitri Muratov. Nascido na sexta maior cidade da Rússia, Samara, o jornalista de 59 anos é uma voz de peso no enfrentamento à hegemonia, (co)fundador do Novaya Gazeta  e, atualmente,  seu editor-chefe. 

O Novaya Gazeta, inaugurado em 1993,  é um jornal independente que busca denunciar os abusos de poder e oferecer à população russa uma fonte honesta de informação. Suas matérias já colocaram em xeque inúmeros casos de corrupção e, inclusive, denunciaram a violação dos Direitos Humanos por parte de Vladimir Putin. 

Apesar de receber constantes ameaças e ataques, o Novaya Gazeta segue resistindo. Como tantos outros veículos independentes, ele mostra que o direito à voz é o melhor caminho para se construir uma sociedade mais liberta e consciente

Paz, Liberdade de Expressão e Jornalismo 

A Liberdade de Expressão, apesar de tão referenciada até aqui, exige uma definição mais completa. No Brasil, ela é demarcada no art 5º da Constituição Federal: 

Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes (...)”. 

Nesse sentido, ao selecionar, apurar e redigir matérias, o jornalista atua na manutenção da liberdade de pensamento e construção da paz. De acordo com a ONU, esse estado de harmonia corresponde ao fortalecimento da capacidade de gerir e reduzir guerras e conflitos.

Retomando o que foi dito no início: oferecendo o diálogo em detrimento da disputa, o comunicador preenche lacunas e evita grandes transtornos. 

Referências 

https://www.gazetadopovo.com.br/mundo/jornalistas-maria-ressa-e-dmitry-muratov-vencem-nobel-da-paz-por-defesa-da-liberdade-de-expressao/ 

https://internacional.estadao.com.br/noticias/geral,quem-e-maria-ressa-a-18-mulher-a-ganhar-o-nobel-da-paz-em-126-anos,70003863419 

https://www.brasildefato.com.br/2021/10/12/analise-maria-ressa-e-o-premio-nobel-a-luta-contra-fake-news-e-a-luta-pela-democracia 

https://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/afp/2021/10/08/maria-ressa-um-simbolo-da-liberdade-de-expressao-nas-filipinas.htm 

 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »