24/10/2021 às 23h01min - Atualizada em 24/10/2021 às 22h59min

Eleições históricas na Alemanha

Eleições realizadas na última semana de setembro levou ao Parlamento Alemão diversidade e representatividade.

Elizabeth Vilanova de Lima - Editado por Maria Paula Ramos
https://istoe.com.br/mais-deputados-de-origem-estrangeira-no-novo-parlamento-alemao/
https://www.deutschland.de/pt-br/topic/politica/parlamento-alemao-e-partidos

No domingo (26), os alemães elegeram seus representantes ao Parlamento e o que chamou a atenção do mundo foram os resultados surpreendentes. Dos 735 eleitos para compor o Deutscher Bundestag, 83 possuem origens migratórias. A porcentagem subiu de 8,2% nas últimas eleições para 11,3 em 2021. Não foram só os imigrantes que ganharam mais espaço, houve um aumento no número de mulheres e de negros ocupando cadeiras no Parlamento. O aumento apesar de sútil é claramente um grande passo em comparação com o último pleito eleitoral do país.

Há um destaque especial para Tessa Ganserer e Nyke Slawik, mulheres trans que são as primeiras a conquistar cargos no Bundestag. Ambas são membros do Partido Verde. A primeira mulher negra também foi eleita, Awet Tasfeisus, ela também integra o partido Verde e é uma imigrante vinda da Eritréia.
 
 
Maioria na esquerda
 
A porcentagem de eleitos pelos partidos de esquerda que possuem origens estrangeiras é de 28,2%,enquanto a bancada conservadora concentra apenas 4,6%. Os principais partidos de esquerda são Partido Social Democrata e Partido Verde. Enquanto a bancada conservadora é formada pela União Democrata Cristã e União Social Cristã.
 
 
Um longo caminho a ser percorrido
 
As vitórias são inegáveis. O aumento ou surgimento da representatividade para as minorias no Bundestag, é visto com otimismo e esperança. Denis Nergiz, diretora-gerente do Conselho federal e integração alemão, considera as mudanças uma tendência positiva para o país.
Nergiz exalta principalmente a crescente de mulheres ocupando cargos federais. A diretora do Conselho também ressalta que os partidos políticos abriram espaço e se empenharam em promover os nomes de candidatos com histórico de imigração durante toda a campanha.
Armand Zorn, eleito pelo Partido Social Democrata, se diz confiante sobre o futuro. Natural de Camarões, ele chegou a Alemanha com 12 anos e percorreu um longo caminho na campanha, batendo de porta em porta, até chegar com apenas 33 anos ao Parlamento representando Frankfurt.
Zorn afirma que suas origens e cor de pele não foram pontos de discussão durante a campanha, mas sim suas propostas e capacidades de trabalho, o que ele considera um fato promissor. Ele também ressalta que a questão de imigração precisava de representantes que a conhecem pessoalmente.
 
 
Lição para o mundo
 
Mesmo que ainda exista muito a ser feito para que o que aconteceu na Alemanha se multiplique nos próximos anos, há a certeza de que mudanças estão acontecendo. E essa tendência é mais um exemplo de que a sociedade está se tornando receptiva às minorias e suas questões mais sensíveis que as afetam.
 
 
 
 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »