12/11/2021 às 10h46min - Atualizada em 12/11/2021 às 10h24min

O autoritarismo e sua atemporalidade

O livro "A revolução dos bichos" se torna uma obra atemporal ao abordar características do autoritarismo

Daiane Ferreira - Editado por Andrieli Torres
Fonte: Marília do Bem

A maioria de nós sabemos, com base em situações do dia a dia, que a mania de poder e o autoritarismo é algo que faz parte das características de muitos.

“A Revolução dos Bichos” se torna uma obra atemporal ao contextualizar características, como as do autoritarismo, que se tornam uma adversidade que enfrentamos desde muito tempo até os dias atuais.
Sob o histórico de autoritarismo de alguns governos, das pessoas que detém certo poder perante as outras pessoas, ou mesmo naqueles casos em que a 
persona apenas acha que detém. 

 

Incrível e não coincidentemente, muitas personas se enquadram no contexto exposto na obra ao demonstrarem seu autoritarismo espalhafatoso e encurralador. Seja ao governar um país e “ditar” as regras a sua maneira, comprometendo a vida de milhares de pessoas, se achando “dono (a)” de tudo. Seja por ser tão vulgar em suas asserções ao ponto de ceifar a vida de uma pessoa por achar que possui este poder sobre ele (a). Geralmente tendo como uma de suas características a cíclica mudança de concepções ou mesmo de humor.  
 

A obra, de George Orwell, publicada no ano de 1945, é considerada como uma abordagem, metafórica, a respeito da traição soviética. Apesar de publicado há mais de 70 anos, o livro continua passando pela mão de muitos leitores, sendo nitidamente uma obra de linguagem clara e que ainda se encaixa com o cenário no qual estamos inseridos atualmente. Logo percebe-se que não mudou muita coisa. 
 

No livro, os animais são a representação dos humanos e suas atitudes, e os porcos são a representação daqueles que estavam no comando, através de força bruta, escancarando seu autoritarismo.  

Os porcos dominantes em “A Revolução dos Bichos” frequentemente mudavam ou excluíam os “fundamentos” para que ficassem adequados ao seu pensamento tenro e instável, sempre que achavam necessário.

Assim como os governos modificaram e ainda modificam as leis quando lhes é cabível. Como é também conveniente a personalidade autoritária mudar “as regras do jogo” e geralmente ditar as ações alheias. 
 

 

O autoritarismo é um problema que já vem sendo abordado em obras literárias desde muito tempo. Por se tratar de um problema frequente e que afeta diversas vertentes da sociedade, seja pelo viés econômico ou social. Filósofos como Adorno e Horkheimer também trataram, em detalhes, o autoritarismo por meio da primeira versão da “Dialética do Esclarecimento”, livro publicado pela primeira vez em 1944.  
 

Correlato ao contexto em que “A Revolução dos Bichos” foi escrita, durante a Segunda Guerra Mundial, o Índice de Democracia 2019, organizado pela Unidade de Inteligência do jornal The Economist (Economist Intelligence Unit), mostra que o mundo ainda possui 54 regimes que podem ser considerados autoritários. 
 

Tendo em vista que estes aspectos são ininterruptos dentro da sociedade, resta aos homens analisar suas ações com mais frequência e refletir se essas atitudes podem ser mudadas. Ou será que esses tristes fatos sobre o homem simplesmente não podem ser extintos? Eis o questionamento...


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »