15/11/2021 às 20h56min - Atualizada em 15/11/2021 às 20h40min

Jornalistas apontam os desafios das empresas de fact-checking no Brasil

Empresas de checagem se mostraram fundamentais diante das desinformações sobre a pandemia de covid-19

Pedro Ferreira - Editado por Ynara Mattos
(Foto: Divulgação Facebook)

No Brasil, checar a fonte de uma informação ficou cada vez mais complexo diante da quantidade de notícias falsas produzidas diariamente. No país, existe cerca de sete empresas especializadas em fact- checking, que fazem o trabalho de verificação de fatos ou dados. Diante disso, essas agências de checagem de notícias surgiram no país nos últimos anos para auxiliar a sociedade a enfrentar o desafio da desinformação.

Ana Regina Rêgo, jornalista e coordenadora do NUJOC checagem, diz que a grande produção de desinformação realizada no Brasil é um desafio para os checadores de notícias.


 

“Há uma grande produção de desinformação diariamente que coloca os jornalistas checadores em um trabalho intermitente, vinte e quatro horas por dia. Outro grande desafio é o pequeno alcance que tanto o jornalismo das vias digitais, quanto as checagens tem diante da grande fluidez da desinformação”, afirma Ana Regina.

Regina Rêgo também destaca uma pesquisa feita pelo Instituto de Tecnologia de Massachusetts. Estudo mostra que as notícias falsas se espalham 70% mais rápido que as verdadeiras, e alcançam muito mais gente ganhando espaço na internet ao invés de notícias verdadeiras. “Isso tudo faz com que esse cenário seja muito desafiador e do meu ponto de vista não completamente pode ser combatido somente com o jornalismo ou checagem,” acrescenta Ana Regina.

Ana Rita Cunhadiretora de estratégia e comunidades do site de checagem Aos Fatos, diz que o acesso ao conteúdo checado para o público é uma das dificuldades. 

“Um dos principais desafios das agências de checagem é ampliar o acesso ao seu conteúdo e chegar a mais leitores. Outro obstáculo é do universo da desinformação, onde as pessoas que desinformam sofisticam seus métodos de produzir conteúdo enganoso e isso dificulta para que investiguemos redes de notícias falsas”, afirma Ana Rita.

A jornalista destaca a necessidade das agências de checagem, pois são importantes para fornecer ferramentas e ajudar as pessoas a navegar diante de tanta desinformação. “Ao checar falas de políticos e boatos das redes sociais, contribuímos com mais informação de qualidade circulando. Além disso, fazemos manuais e explicadores para ajudar nossos leitores a fazerem suas próprias checagens e a compreenderem temas que estão sendo alvo de desinformação”, completa a jornalista.

Agências de fact-checking no Brasil

O Brasil possui algumas agências de checagem de notícias que se destacaram nos últimos anos, fazendo a verificação de discursos políticos, como também na correção de dados falsos sobre a pandemia de covid-19 e outros assuntos. Listamos alguns sites que fazem fact-checking no país.

  • Agência Lupa

É considerada a primeira agência de checagem do Brasil. A empresa fundada em 2015, integra a International Fact-Checking Network (IFCN). Trabalha no combate à desinformação através do fact-checking e da educação midiática
 

  • Projeto comprova

Comprova reúne jornalistas de 33 diferentes veículos de comunicação brasileiros para descobrir e investigar informações enganosas, inventadas e deliberadamente falsas sobre diversos temas. O Comprova é uma iniciativa sem fins lucrativos
 

  • Aos fatos

Criado em 2015 é um site jornalístico independente é especializada em monitoramento e investigação de campanhas de desinformação na internet e checagem de fatos.
 

  • Fato ou Fake

É um serviço de checagem feito pelo site G1 que trabalha na apuração criteriosa de notícias que estão sendo compartilhadas nas redes sociais.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »