20/12/2021 às 23h58min - Atualizada em 20/12/2021 às 22h05min

A importância dos influenciadores digitais que produziram conteúdos de conscientização acerca da pandemia

Cantores, atores e artistas como um todo foram atuantes na influência digital sobre questões envolvendo a Covid-19

Lívia Nogueira - Revisado por Márcia Nascimento
Juliete Freire contribui na campanha a favor da Vacina. (Foto: Reprodução/Estadão)

Considerando o crescimento exponencial da utilização das redes sociais durante o período de distanciamento social causado pela pandemia por Covid-19 em todo o mundo, os atores sociais que exercem influência nesses espaços foram essenciais no apoio às campanhas de prevenção, tratamento e vacinação. Considerando o poder de formação de opinião desses profissionais, a linha de abordagem deles foi importante para, além de gerenciar o entretenimento da população que enfrentava o distanciamento social, colaborar para o andamento das ações relacionadas ao contexto pandêmico. 

Apropriando-se dos diversos mecanismos digitais de compartilhamento, diversos influenciadores manifestaram, no Twitter, Instagram e Youtube, informações e opiniões acerca dos cuidados a serem adotados na pandemia. Ações como a utilização de máscara, o respeito ao distanciamento e a imunização foram pautas abordadas de modos variados por esses atores digitais. Além desses cuidados de enfrentamento ao Coronavírus, muitas discussões surgiram em relação aos cuidados psicológicos durante o período pandêmico, visando, por exemplo, o incentivo à busca por auxílio profissional de modo virtual e à manutenção de hábitos saudáveis.

Twitter de Regina Casé. (Reprodução: @ReginaCase - Twitter)

Twitter de Whindersson. (Reprodução: @whindersson - Twitter) 

Twitter de Fafá de Belém. (Reprodução: @fafadbelem - Twitter)

 

Alguns influenciadores digitais, inclusive, ascenderam nesse período produzindo fielmente conteúdos ligados ao período pandêmico. Uma pesquisa desenvolvida pelo Science Pulse e o Instituto Brasileiro de Pesquisa e Análise de Dados (IBPAD), apontaram alguns brasileiros que se destacaram como figuras consideradas referências intelectuais no Twitter com relação ao Coronavírus em 2020. Dentre eles, estão: Atila Iamarino (@oatila), biólogo e ex-pesquisador da Universidade de São Paulo (USP); Luiza Caires (@luizacaires3), editora de Ciências do Jornal da USP; e o médico epidemiologista Otavio Ranzani (@otavio_ranzani), também pesquisador do Instituto Global de Saúde e da USP. Esses indivíduos alcançaram milhares de pessoas em todo o Brasil, abordando informações científicas sobre o Covid-19.
 

Twitter de Átila Iamarino. (Reprodução: @oatila - Twitter)
 

É essencial salientar que essa influência nem sempre foi utilizada de modo a favorecer as campanhas e os protocolos adotados pelas gestões de saúde do País. Muitas figuras de influência, além de protagonizarem polêmicas ao participarem de aglomerações durante a pandemia, utilizaram-se de suas redes para disseminar informações denominadas 'negacionistas' quanto ao surto de Coronavírus. Nesse sentido, uma das grandes ações que geraram discussões foi a contratação de influenciadores digitais pelo governo brasileiro para o incentivo ao tratamento com medicamentos sem utilidades comprovadas cientificamente. Profissionais da saúde e milhares de brasileiros reprovaram a ação e as produtores de conteúdos que se envolveram com a campanha foram alvos de muitos ataques e questionamentos.


 

Publicação de Flávia Viana. (Reprodução: @flavia_viana - Instagram)
 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »