27/01/2022 às 01h01min - Atualizada em 24/01/2022 às 01h24min

Após pressão, Twitter inclui ferramenta para denunciar fake news no Brasil

A pressão de usuários da rede fez a plataforma incluir o Brasil na lista de países testes para a nova ferramenta contra a desinformação

Leonardo Pereira - Editado por Maria Paula Ramos
Desde o início da pandemia de covid-19, as redes sociais foram, e são, um ambiente propício para a proliferação de notícias falsas e distorcidas. No início, curas milagrosas e receitas absurdas como beber desinfetante para matar o coronavírus circularam de forma ampla nas redes sociais. Com os estudos, testes clínicos e aprovação dos imunizantes contra o Sars-Cov-2, vieram as fake News sobre as vacinas, e pouco foi feito pela maioria das redes sociais, e o twitter não foi muito diferente.

No twitter, grupos extremistas e antivacina encontraram um espaço livre para propagandear informações distorcidas sobre a pandemia, sem punição e sem restrições da plataforma. Outras redes sociais como Youtube e Instagram criaram mecanismos para denunciar publicações falsas relacionadas à COVID-19.

Nas últimas semanas, os usuários da plataforma têm pressionado a rede para agir contra a desinformação, propondo que a ferramenta para combater às Fake News— utilizada pela empresa em outros países— fosse implementada no Brasil. Estados unidos, Coreia do Sul e Austrália já dispõem da funcionalidade desde agosto de 2020, o recurso ainda está em fase de testes.

Em comunicado oficial, o Twitter Brasil disse que apenas 10% dos tuítes denunciados e analisados pela sua equipe, violavam as políticas de privacidade da plataforma, o que indica a necessidade de melhorias no processo. o recurso já recebeu quase 4 milhões de denúncias referentes a dois milhões de diferentes tuítes publicados por 64 mil contas distintas, segundo a plataforma.

“É importante entender que a aplicação de nossas políticas em relação a conteúdo enganoso no Twitter é feita principalmente de forma proativa, sem a necessidade de denúncia. A opção de denúncia nos ajuda a entender como essa ferramenta pode contribuir para melhorias em nossos esforços para identificar conteúdo potencialmente enganoso no Twitter em termos de agilidade e abrangência.” afirma a empresa em nota.


É SUFICIENTE?
Para o Diretor executivo do instituto de tecnologia e sociedade, Fabro Steibel, em entrevista para o Estadão Notícias, essa medida sozinha é insuficiente e explica que uma averiguação secundária é necessária.
“É essencial ter uma averiguação secundária da informação. Quando alguém reporta, você tem que ter um mecanismo para peneirar aquilo, para saber o que é verdadeiro e o que não é. Nesse processo é que entram os fact-checkers [checadores]. Eles são uma comunidade essencial para pegar essas informações denunciadas e fazer a primeira triagem.” 

Steibel também cita a tríade da desinformação que lucra com a produção de notícias falsas. Essa tríade é composta de políticos, pessoas anônimas que são financiadas pela indústria da desinformação e de profissionais de mídia que lucram através da polarização, que consequentemente gera visualizações. E para ele, o calcanhar de aquiles da desinformação é o follow the money, siga o dinheiro.

“São pessoas que vão ganhar milhões de visualizações, que vão ganhar dinheiro pelo clique, que vão criar conglomerados empresariais a partir desse dinheiro. Eles começam amadores, se profissionalizam e viram empresas de comunicação. Temos que ir atacando naquelas empresas de comunicação que surgem a partir da produção de fake News. “  pontua Fabro


Apesar de parecer apenas mais uma rede social, o twitter consegue pautar muitos debates fora da plataforma. É exatamente neste ponto que está a preocupação dos usuários e especialistas em tecnologia. As fake news feitas e postadas no microblog, rapidamente chegam aos grupos de WhatsApp e Telegram, antes mesmo de serem derrubadas.  O financiamento e impulsionamento de postagens falsas sobre a pandemia da Covid-19 pode ser moderado pela empresa. A estratégia de “shadowing” , que consiste em frear o impulsionamento do conteúdo suspeito até que ele seja removido.

Todavia, apesar da implementação da nova função de denúncia na rede social, usuários ainda questionam a demora e o retorno do Twitter para agir contra a desinformação. O movimento Sleeping Giants Brasil, engajado na luta contra o financiamento do discurso de ódio e das Fake News nas redes sociais, foi um dos idealizadores do tuitaço em forma de protesto, que aconteceu no começo de janeiro intitulado de #TwitterApoiaFakeNews e que cobrava da plataforma mais rigidez no combate às notícias falsas. Recentemente, o perfil alertou para a demora da rede social em suspender contas que infrinjam os termos de uso.

 

COMO DENUNCIAR
Confira abaixo, o tutorial de como de denunciar conteúdos falsos sobre a pandemia no Twitter:
1-Clique nos três pontinhos localizados no lado direito de cada tweet e acesse "Denunciar Tweet"
2-Selecione a opção "As informações são enganosas"
3-na sequência você pode escolher entre as opções "política", "saúde" ou "outra coisa"

 


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »