30/07/2022 às 01h48min - Atualizada em 30/07/2022 às 01h48min

Brasil joga para conseguir primeira glória de uma geração

Jogadoras novatas e técnica Pia Sundhage tem a chance de conseguir primeiro título com a seleção feminina, o da Copa América, contra as colombianas, as donas da casa

Paulo Octávio - labdicasjornalismo.com
Rafaelle, Debinha, Antonia e Duda Santos tem a chance de conseguirem primeiro título pela seleção. Foto: Thais Magalhães/CBF

Já classificada para a Copa do Mundo de 2023 e Olímpiadas de Paris, em 2024, a seleção feminina busca o último grande objetivo na competição: o título da Copa América Feminina. Se vencer a Colômbia neste sábado (30), às 21h, no estádio Alfonso López, obterá a  oitava taça em nove competições. E, além disso, pela primeira vez, obterá uma premiação financeira. A campeã ganhará um milhão e meio de dólares e fará a finalíssima contra a campeã da EurocopaInglaterra e Alemanha decidem torneio neste domingo (31). Já a vice ficará com 500 mil dólares.   

O jogo é único. Se houver empate no tempo normal terá prorrogação e, mantida a igualdade, pênaltis. 

O título, se vier, terá um gosto especial pois consagrará a nova geração de jogadores. Sem Marta, Formiga e Cristiane, as Dudas, Tamires e Adriana conduzem a equipe e pode ganhar seu primeiro título assim como a técnica Pia .  

A jogadora do Corinthians pode conseguir uma redenção pessoal pois esteve de fora das últimas Olimpíadas devido a uma cirurgia de joelho. Se fizer dois gols será a artilheira da competição. Já Bia Zaneratto é veterana e disputou seu centésimo jogo com a camisa amarela na semifinal contra o Paraguai. 

Porém o desafio para as brasileiras não será fácil. A Colômbia joga em casa e todos os 22 mil ingressos foram comprados. A equipe, assim como Brasil, venceu os seus quatro jogos. A diferença é que elas fizeram 14 gols e tomaram três; já a seleção marcou 19 vezes e não teve sua zaga vazada.  

As tricoleres lutam pelo primeiro título. Em 2010 e 2014 perderam as duas finais para o Brasil. Canais SBT e Sportv transmitem a partida. 

BRASIL 

Equipe terá todo o plantel a disposição. Não há baixas por lesões e nem por covid; nenhuma atleta testou positivo nesta sexta. 

Mesmo com uma base definida, Pia usou o último treino para testar opções e colocou Duda Francelino no lugar de Adriana. Mas o time deverá ser o mesmo que pegou a Paraguai na última terça (26).   

Apesar de ter o melhor ataque da competição, Pia reclamou que o Brasil não conseguiu converter oportunidades em gols. Na coletiva após o treino, projetou uma decisão difícil contra as donas da casa e afirmou que deseja manter o padrão estabelecido na competição.  

“É importante mantermos a calma e não nos desesperarmos quando as coisas não funcionarem. Temos que manter a ideia de jogo, sermos pacientes e acreditar no que estamos fazendo”,  disse a sueca em coletiva. 

Provável Brasil: Lorena; Antonia, Tainara, Rafaelle e Tamires; Adriana, Angelina, Ary Borges e Kerolin; Debinha e Bia Zaneratto. Técnica: Pia Sundhage. 

COLÔMBIA 

Assim como no Brasil, jovens jogadoras passaram a ter uma chance nessa competição. A maior esperança das Tricolores é Linda Caicedo, de 17 anos, ela fez e marcou o gol da classificação na semifinal contra Argentina. 

Provável Colômbia: Catalina Pérez; Mónica Ramos, Daniela Arias, Jorelyn Carabali, Manuela Vanegas; Daniela Montoya e Lorena Bedoya; Leicy Santos, Catalina Usme e Linda Caicedo; Mayra Ramírez. Técnico: Nelson Abadía. 

HISTÓRICO DE CONFRONTO 

As rivais dessa final se enfrentaram em seis jogos. O Brasil ganhou cinco partidas, dessas, duas foram finais da Copa América. E  as colombianas venceram uma.  


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »