05/08/2019 às 13h55min - Atualizada em 05/08/2019 às 13h55min

Mão no volante, perigo constante

As principais causas de acidentes de trânsito no Brasil

- Beatriz Evaristo
https://icetran.com.br/blog/mau-comportamento-dos-motoristas/
Foto do acervo do site ES Brasil
Os acidentes de trânsito estão na lista das dez maiores causas de morte no mundo, e perdem apenas para o Acidente Vascular Cerebral (AVC), câncer e tuberculose. O Brasil, segundo o Observatório Nacional de Segurança Viária (ONSV), está em quarto lugar no ranking mundial de mortes no trânsito.
Cerca de trinta mil pessoas morreram vítimas de acidentes no país em 2017, uma estimativa alta, mas em comparação ao ano de 2008, ano no qual entrou em vigor a Lei Seca, estima-se, aproximadamente, quarenta mil mortes, o que totaliza 14% de redução nessa taxa.

Embora a redução da taxa seja significativa, a consciência na direção precisa evoluir. Há dados que indicam que a violência no trânsito ainda é muito frequente e que em 90% dos casos o fator humano – quando o motorista é negligente ou imprudente com as leis – representa a causa dela.

Isabela Muniz, 19, está no processo de obter a carteira de motorista e conta como foi o período de aprendizagem no curso teórico de legislação “Na autoescola fui bem instruída para saber como lidar nos casos de batida, ajudar a vítima e essas coisas, eles mostram vários vídeos de acidentes, como uma forma de vermos o perigo que está nas nossas mão.”

As autoescolas têm um papel fundamental na formação do motorista, entretanto, é necessário ensinar começando das crianças a importância de ter consciência no trânsito. Em grande parte dos casos, o excesso de autoconfiança é o fator que mais prejudica o aprendizado do aluno, pois gera, na maioria das vezes, desinteresse em aprender mais, essencialmente durante a parte teórica.
 
“Nós somos o trânsito”
Conhecer os fatores que colocam em risco a vida de diversas pessoas no trânsito é essencial para conscientizar os motoristas e a sociedade. Em vista disso, órgãos e entidades que integram o Sistema Nacional de Trânsito promovem a Semana Nacional de Trânsito. Ela é realizada desde o ano de 1991, entre os dias de 18 a 25 de setembro.

A ideia que cerca o evento é de mobilizar toda a sociedade e envolve-las em uma reflexão, estimular todos os condutores para optarem por um trânsito mais seguro. Cada ano o tema da Semana muda, e em 2018 foi “Nós somos o trânsito”.

Os acidentes, como já dito, na maioria das vezes estão relacionado a fatores humanos, sendo eles: excesso de velocidade – os limites de velocidade não são respeitados pelos condutores, tornando esse o principal causador de acidentes – bebidas alcoólicas; equipamentos de proteção – esse fator está diretamente ligado aos motociclistas, cerca de 96% das indenizações por morte no trânsito são pagas por condutores de motocicletas justamente pelo não uso do capacete – uso de cadeirinha infantil; cinto de segurança e uso de celulares.

Mesmo a grande maioria dos acidentes serem causados exclusivamente pela falha do condutor, o estudo do trânsito aponta que há um tripé que é também responsável pelos acidentes: motorista, automóveis e vias. No Brasil, o último fator é uma grande preocupação, já que, de acordo com um levantamento da Pesquisa CNT de Rodovias 2018, as vias não estão em boas condições na grande maioria dos lugares, em 47,1% dos trechos receberam avaliação péssimo ou ruim.

Outro fato importante para evidenciar é que em casos de acidentes fatais os homens são as principais vítimas com 82,38% e as mulheres com 17,62%. Verifica-se também que a maior parte das vítimas fatais possuem entre 20 a 49 anos, tanto para o sexo masculino (61,86%), quanto para o feminino (47,64%).

Por fim, é impossível transformar por completo a realidade do trânsito, mas estimular o condutor a ter um bom comportamento perante ele pode um bom início para uma conscientização massificada. 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »