09/08/2019 às 11h20min - Atualizada em 09/08/2019 às 11h20min

Cread de portas abertas

Diversas instituições oferecem cerca de 4.500 vagas de atendimento por mês até a reinserção no mercado

Tadeu Marques - Editor: Ronerson Pinheiro
Foto/Reprodução: Marcelo Sant'Anna/ImprensaMG/Divulgação
Sob responsabilidade da Secretaria de Estado de Segurança Pública, (Sesp), o Centro de Referência em Álcool e Drogas (Cread), está de casa nova. Com o intuito de um acolhimento mais humano o novo ambiente oferece uma vasta troca de experiências mútua, entre os atendidos. O espaço recebe dependentes químicos que buscam ajuda na luta contra o vício e outras drogas.

Fundo do poço

Primeira droga que eu conheci foi dentro da empresa que eu trabalhava. Comecei a fumar maconha e de uns tempos para lá entrou o crack. Foi aonde destruiu tudo na minha vida. Foi o fundo do poço. Eu acabei me deixando envolver no mundo do crime. Quando eu vi que já não estava mais dando conta eu comecei a procurar o esporte. Hoje, aqui, eu vivo um dia após o outro. Aqui, no centro, eu vejo uma família”. Esse é o relato de um dependente químico que conseguiu procurar ajuda e hoje começa uma vida nova.

Esperança

Relatos como esses é a esperança da aposentada Francisca Perez, 55. “Esperava ouvir isso do meu filho que hoje encontra-se em tratamento no Centro. Para mim é um alívio (choro). Hoje ele leva uma nova vida e está conseguindo pouco a pouco sair dessa”, conta. Além do atendimento a esses pacientes o Centro também oferece apoio psicológico aos familiares além de outros serviços essenciais. Dona Francisca, cita o apoio por parte dos funcionários. “Aqui é uma segunda família. Desde apoios psicológicos até um ombro amigo a gente encontra”, agradece.
 
Cooperação

Em convênio com a Subsecretária de Políticas sobre Drogas (Supod) administrada pela Secretaria de Estado de Segurança Pública, (Sesp), mais de 40 instituições oferecem cerca de 4.500 vagas de atendimento por mês, em abrigos temporários até a reinserção no mercado.
Segundo a Sesp, o perfil dos atendidos são homens, solteiros, com baixa ou nenhuma instrução escolar além de autônomos. Ainda de acordo com a Secretaria, a maioria dos jovens e adultos atendidos pelo Centro, começaram nessa vida durante a adolescência seja pela bebida, cigarro ou histórico familiar.

Família é fundamental

O apoio da família nesse momento é fundamental. Eles são o alicerce do dependente. “A participação da família no processo de recuperação da dependência química é fundamental e contribui de forma significativa no processo do tratamento. Quando a família possui um distanciamento afetivo, dificuldade na comunicação e a falta de conhecimento frente à doença, o uso de substâncias pelo dependente tende a ser favorecido”, explica a psicóloga clínica, Mayra Reis. É necessário a busca de informações que ajudarão no tratamento do paciente de forma significativa. “Sendo assim, é essencial que a família busque conhecer melhor a doença, pois só assim, saberá criar estratégias mais assertivas e dessa forma passa a ser uma aliada eficiente em conjunto com a medicação e profissionais especializados”, enaltece Mayra.

O Centro de Referência em Álcool e Drogas (Cread), funciona de segunda-feira a sexta-feira, das 8h às 17h na Rua Espírito Santo, 495 - 6º andar – Centro/BH. Outras informações pelo número (31) 3273-6204.


Editora-chefe: Lavínia Carvalho 
 
 
 
 
 
 

 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »