19/08/2019 às 13h54min - Atualizada em 19/08/2019 às 13h54min

Os clássicos estão de volta!

Walt Disney aposta em nova tecnologia para adaptar os memoráveis desenhos animados

- Beatriz Evaristo
Foto: Acervo do site "Outras Histórias"
Desde o ano de 1994 a Disney tem feito refilmagens de grandes clássicos animados em live-action. “O Livro da Selva” foi o primeiro a participar dessa proposta da produtora, desde então, a lista já contabiliza treze remakes lançados.

Essa ideia tem sido transformada em relação aos avanços tecnológicos que a produtora tem acesso. Os efeitos do primeiro filme, se comparado com o último lançado (O Rei Leão), são diferentes, trazem uma ideia de realidade.

 A tecnologia utilizada nos dias de hoje permite uma relação mais efetiva com o público, essa é a essência da estratégia da Walt Disney. Relembrar clássicos, que muitas das vezes fizeram parte da infância da maioria do público, é uma articulação boa para conseguir se manter no mercado cinematográfico e ainda conquistar novos telespectadores.

Eduarda Yamaguchi, 20, é estudante de jornalismo, fã das produções da Disney, e conta sobre esses remakes “Bom, eu acho que é uma proposta muito esperta,  estratégica e que faz a Disney cumprir o valor dela que é ganhar dinheiro e ser reconhecida mundialmente por suas produções.” Segundo ela, o impacto que todos têm é de nostalgia, “Quando eu assisti ao Rei Leão, eu revivi a minha infância”. Os filmes são para comover o público, desencadear sentimentos e criar emoções, é essa a estratégia que faz a produtora faturar bilhões e ser um sucesso em bilheteria.

Em contrapartida, a tática não tem agradado todo o público, trazendo um impacto negativo, como é o caso do Guilherme Amaral, 19. Ele também está imerso no universo cinematográfico e diz que gosta muito das produções da Disney, mas a opinião dele é outra.

“Gosto muito dessas histórias, todas estiveram na minha infância e, para mim, elas já eram perfeitas como eram, não havia necessidade de reconta-las.” Guilherme ainda aponta alguns defeitos que o levaram a decepciona-lo “Tudo que era novo tirava a magia do antigo. Os ratos de “Cinderela” não falam, o gênio de “Aladdin” não se comportava como antes, os animais de “O Rei Leão” não tinham nem expressão.”

A proposta da Disney também não está agradando os críticos. Rei leão é o sexto live-action com nota baixa no Rotten Tomatoes. Os especialistas dizem que a produtora ainda precisa da fórmula certa para saber fazer um bom remake com essa tecnologia.

Segundo a pesquisa da UOL, de 10 filmes em live-action da Walt Disney, 6 receberam uma nota ruim, sendo eles: “Alice no País das Maravilhas” com 51%; “Malévola” com 54%; “Alice Através do Espelho” com 29%; “Dumbo” com 46%; “Aladdin”, com 57% e “O Rei Leão”, com 59%.

Os outros longas como: “Mogli: O Menino Lobo” (95%), “A Bela e a Fera” (71%), “Cinderela” (84%) e “Christopher Robin – Um Reencontro Inesquecível” (72%), são os únicos até agora que conseguiram notas boas.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »