27/09/2019 às 18h00min - Atualizada em 27/09/2019 às 18h00min

Saiba como evitar problemas com agências de turismo na hora de viajar

Pesquisar sobre a empresa e conhecer seus direitos em caso de atrasos e cancelamentos é indispensável

Alexandra Machado - Editado por Jéssica Belo
Procon-RJ
Freepik

A alta temporada de turismo está próxima! Comprou um pacote para fazer a viagem dos sonhos e a agência não cumpriu o prometido? O voo atrasou ou foi cancelado? Teve bagagem extraviada? A agência faliu e não quer estornar o valor pago? Situações semelhantes à essas costumam irritar turistas e passageiros, que por não reclamarem seus direitos, saem no prejuízo.  

Por exemplo, na última segunda-feira (23), a agência de turismo britânica Thomas Cook, a mais antiga do mundo no ramo de viagens, declarou falência, que afetou mais de 600 mil clientes em todo o mundo. Saiba como fugir de ciladas em ocorrências difíceis na hora de viajar: 

 

Pesquise sobre a empresa 

  • Dica valiosa: acesse o Cadastur (do Ministério do Turismo) e busque pela operadora que você quer contratar; o site mostra se a empresa existe ou não e também se está ativa.  

  • Procure por sites de registro de reclamações e verifique se a empresa foi solícita e solucionou os problemas dos clientes. 

  • Prefira os pacotes com seguro viagem ou contrate um. Em casos de perda ou dano de bagagens, atrasos e até despesas médicas ter um seguro é essencial. 

  • Leia todas as condições na hora de comprar um pacote. Se alguma informação não estiver bem exposta ou mal explicada, de forma que o confunda, peça um esclarecimento à empresa sobre as particularidades do pacote com base no Código de Defesa do Consumidor. 

 

Atenção às passagens aéreas 

  • Você adquiriu a passagem, chegou no horário, mas o voo atrasou? Após mais de uma hora de atraso, a companhia aérea tem obrigação de fornecer comunicação (celular, internet ou telefone); passadas duas horas, alimentação. Se passarem mais de quatro horas, o passageiro tem direito à hospedagem ou optar pelo reembolso do valor gasto. 

  • Cancelamentos podem ser feitos até 24 horas depois da compra da passagem, sem qualquer custo, mas somente com um espaço mínimo de sete dias antes da partida. Caso a companhia cobre algum valor, reclame imediatamente. 

 

Hospedagens 

  • Verifique a localização do hotel/pousada/casa onde você vai ficar, se é perto dos pontos turísticos que pretende visitar, ou está em uma área perigosa. 

  • Pesquise imagens do local fora do site oficial da hospedagem, principalmente fotos de ex-hóspedes. 

  • Se houver cancelamento, fique atento às taxas e multas extras que geralmente são cobradas, se são legítimas ou abusivas. 

  • Guarde as promessas e fotos do site do hotel. Se os benefícios oferecidos forem de baixa qualidade ou não existirem como o prometido, o hóspede pode exigir desconto da diária. Por isso, desconfie de lugares baratos demais e com muitas vantagens. 

 

Hora de passear 

  • Vai fazer passeio de buggy, barco, lancha e afins? Dê preferência às empresas com sede fixa, que tenham CNPJ. Se houver descumprimento de contrato, você estará resguardado pela lei de proteção ao consumidor. 

  • Confira a reputação da empresa que vai o serviço turístico; procure reclamações e elogios de clientes antigos. 

 

Resolvendo o problema na prática 

O Procon orienta aos consumidores de, em primeiro lugar, tentarem acordo com o fornecedor do serviço. Se não for possível, procure o Procon por telefone, pelo aplicativo ou site ou presencialmente. 

Reúna todos os comprovantes de contratação que você tem, desde contratos e notas fiscais de pagamento até fotos com os serviços prometidos no momento da compra. O Procon envia uma carta à empresa, que tem até dez dias para responder. 

"Caso não resolva, é instaurado um processo administrativo que pode demorar até 120 para tramitar. Todas as tentativas são de conciliação com o fornecedor. Não havendo solução nessa esfera, aí o consumidor precisa recorrer ao poder judiciário", explica Marcele Soares, coordenadora do Procon-SP, em entrevista ao G1. 

 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »