10/10/2019 às 16h28min - Atualizada em 10/10/2019 às 16h28min

Donas da América: 16 equipes disputam Libertadores Feminina 2019

Corinthians e Ferroviária são os representantes do futebol brasileiro na competição continental

Dara Oliveira - Editado por Paulo Octávio
16 equipes disputam a taça mais cobiçada da América. Foto: divulgação CONMEBOL
A 11ª edição da Copa Libertadores da América de Futebol Feminino começa nesta sexta-feira (11), em Quito, no Equador. Quatro jogos abrem a competição, incluindo a disputa entre a atual campeã do torneio, Atlético Huila (COL), contra o Peñarol (URU). Quanto aos representantes do Brasil, a equipe da Ferroviária enfrenta o  Mundo Futuro (BOL) no mesmo dia. Já o Corinthians estreia somente no sábado (12) contra as  dona da casa, Club Ñañas (ECU). A transmissão dos jogos será feita pelo serviço de streaming DAZN.

De acordo com o regulamento da CONMEBOL, a competição tem um formato renovado a começar pela quantidade de equipes na disputa. Se nas outras dez edições organizadas até aqui, foram 12 equipes, na edição 2019, a briga passa a ser mais acirrada com a entrada de quatro clubes. Sendo assim, a Libertadores começara com os 16 clubes divididos em quatro grupos com quatro agremiações cada. Os dois melhores  avançam para o mata-mata, que começa a partir das quartas de final. A grande final está prevista para o dia 27 de outubro.


Equipe vencedora da última edição, Atlético de Huila, abre a competição contra o peñarol. Foto: divulgação CONMEBOL

Além disso, a premiação do torneio continental também passou por mudanças. O vencedor dessa edição levará para casa 85 mil dólares (cerca de R$ 348 mil), o vice-campeão 50 mil (cerca de R$ 204 mil) e o terceiro 30 mil (cerca de R$ 122 mil). Todas os clubes participantes receberão 7,5 mil (cerca de R$ 30,7 mil).

Confira os grupos da Libertadores Feminina 2019
Grupo A: Atlético Huila (COL), Peñarol (URU), Cerro Porteño (PAR) e Colo Colo (CHI)
Grupo B: Deportivo Cuenca (ECU), Estudiantes Caracas (VEN), Mundo Futuro (BOL) e Ferroviária (BRA)
Grupo C: Corinthians (BRA), Club Ñañas (ECU), América de Cali (COL) e Libertad Limpeño (PAR)
Grupo D: Santiago Morning (CHI), UAI Urquiza (ARG), Municipalid de Marjes (PER) e Independiente Medellín (COL)
 
Início da competição e a crise no Equador
A tão aguardada estreia da 11ª Libertadores Feminina acontece em um meio a grave crise política do Equador, sede do evento. Desde a última semana, Quito, vem sendo palco de inúmeros protestos e conflitos. Por meio de matéria publicada no site do Corinthians, o clube paulista informou que a equipe está na capital desde o domingo (6), e já na terça-feira (8) precisou trocar o hotel onde estava hospedada, no centro da cidade, a pedido do Comitê Organizador Local (COL). Mesmo após a mudança, a equipe teve saída vetada, por medidas de segurança, e realizou os treinos de quarta-feira (9) no próprio hotel.

De acordo com o site GloboEsporte.com, uma reunião técnica da CONMEBOL, prevista para acontecer nesta quinta-feira (10), pretende discutir o desenvolvimento da Libertadores Feminina em meio a essa crise. Até o fechamento desta matéria a reunião ainda não tinha começado.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »