11/05/2020 às 13h31min - Atualizada em 11/05/2020 às 13h31min

Indústrias têxteis adaptam rotina em meio a crise de Covid-19

Marcas aproveitaram queda em suas produções para darem lugar a generosidade

Bárbara Evelyn - Haylane Santos
Ações de solidariedade em tempos de pandemia – Foto: Pexels



Diante do novo cenário em decorrência da Covid-19, trabalhadores e empresários de diversos setores do país foram obrigados a se habituarem a um novo mercado de trabalho. E em meio as numerosas notícias trágicas, indústrias têxteis posicionam-se de forma positiva e definem ações solidárias. Onde inclui a venda de máscaras com estampas exclusivas das novas coleções, confecções de uniformes para médicos e enfermeiros, e doações de cestas básicas para instituicões.

Com as próximas temporadas e coleções já planejadas, marcas encontraram em meio ao caos, iniciativas solidárias de substituir a confecção de peças por atos de doação. Aproveitaram a queda em suas produções para darem lugar a generosidade.

A marca carioca Reserva, por exemplo, que atua no segmento de moda masculina. Transformou sua fábrica com o auxílio de outros parceiros brasileiros em uma base de solidariedade; transformando as sobras de tecidos de suas últimas coleções em dez mil máscaras de proteção para uso domiciliar, destinadas para diversas comunidades cariocas.

Outras marcas também se uniram ao movimento de solidariedade, a Cia. Hering confeccionou quase sete mil conjuntos de uniformes composto por blusas e calças, que foram doados as instituições de saúde de Santa Catarina, Goiás e Rio Grande do Norte para a proteção de médicos e enfermeiros no centro cirúrgico. Já a Lacoste, desde abril direciona parte de suas vendas da coleção 19H na redução de danos do coronavírus. O dinheiro é convertido em 800 cestas básicas, e direcionadas para o Instituto Guga Kuerten em Santa Mônica (SC), e Fundação Gol de Letra com sedes nas cidades de Caju(RJ), e em Vila Albertina (SP).

 

 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »