15/05/2020 às 14h57min - Atualizada em 15/05/2020 às 14h57min

Pedofilia: Entenda o real motivo para pedófilos serem considerados doentes

O médico psiquiatra Guido Palomba diz que pedófilos algumas vezes saem por bom comportamento por que na cadeia não há crianças para serem estupradas.

Rute Moraes - Edição: Giovane Mangueira
OMS
Dnisa Camargo Jusbrasil
A pedofilia está entre as doenças classificadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS), dentro dos transtornos de preferência sexual. Os pedófilos são caracterizados por pessoas adultas, que possuem a preferência sexual por crianças do mesmo sexo ou de sexo diferente. Geralmente são as que ainda não atingiram a puberdade, ou que estão no início da puberdade, de acordo com a OMS. No Brasil se tem diversos casos de pedofilia, alguns até que ficaram marcados no histórico de crimes do nosso país. Um dos mais conhecidos é o caso do médico Eugênio Chipkevitch, um médico que abusava sexualmente de seus pacientes, que tinham idade entre 9 a 16 anos. Além de tudo, Eugênio Chipkevitch também filmava todos os seus atos de abuso, pois as crianças estavam anestesiadas. Todas as vítimas eram meninos. Através da fita, que um dia ele jogou em um lixão, foi se capaz de prender o médico pedófilo.

Para o psiquiatra forense, Guido Palomba, os pedófilos sabem que suas práticas são erradas para a sociedade, só que, para eles não. "Talvez eles até pensem que estão proporcionando prazer para suas vítimas e este é um pensamento comum para os pedófilos, a capacidade crítica deles é absolutamente falha. Se eles possuíssem uma capacidade crítica comum, esse fator poderia ser um freio. Eles poderiam pensa, tipo, eu possuo o desejo por pessoas menores de idade e a sociedade condena portanto, não irei fazer", explica o psquiatra 
Guido Palomba.

Ainda de acordo com o médico psiquiatra, Guido Palomba, os pedófilos não possuem essa capacidade de autocrítica e nem tratamento para esse tipo de doença. "Os pedófilos são degenerados mentais, absolutamente irrecuperáveis, não existe um tratamento para indivíduos como esses, não há injeções ou drogas que possam dar a eles aquilo que não possuem, que é a capacidade de freio, ser capaz de frear seus instintos", conta Guido Palomba.

No Brasil, os pedófilos são julgados como criminosos comum, isso para o doutor, Guido Palomba é um erro. "O criminoso comum é penado no máximo com 40 anos de reclusão e, isto é uma piada e nem um terço da pena é cumprida. Alguns por bom comportamento podem sair mais cedo do cárcere, na cadeia não há crianças para serem estupradas”, ressalta Guido Palomba.

O psiquiatra Guido Palomba, explica que, a solução é pegar uma medida de segurança e levarem eles para uma casa de custódia. “A literatura não tem um caso de pessoas que tenham se recuperado e voltado ao convívio normal. Quando esses pedófilos saírem da prisão, eles iram voltar para suas antigas práticas, por esse fator, eles devem permanecer em uma casa de custódia", conclui.

O código penal brasileiro estabelece crime a relação sexual ou ato libidinoso, ou seja, todo ato de satisfação do desejo, ou apetite sexual da pessoa, praticado por adulto com criança ou adolescente menor de 14 anos. Entretanto, por mais que o criminoso pegue 40,50 ou até 100 anos de prisão, ele não pode permanecer mais do que 40 anos encarcerado. Conforme o artigo 241-B do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) é considerado crime também, o ato de adquirir, possuir ou armazenar, por qualquer meio, fotografia, vídeo ou outra forma de registro que contenha cena de sexo explícito ou pornográfica envolvendo criança ou adolescente.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »