16/05/2020 às 10h31min - Atualizada em 16/05/2020 às 10h31min

Facebook paga indenização de US$ 52 milhões a moderadores

Valor será repassado a funcionários que desenvolveram algum distúrbio enquanto trabalhava para a empresa

Thiago Oliveira - Editado por Manoel Paulo
The Verge
ScaryKids
Em decisão inédita, o Facebook concordou em indenizar seus atuais e ex-moderadores de conteúdo. Os valores dessa negociação chegam à casa de US$ 52 milhões, cerca de R$ 304,7 milhões de reais na cotação atual. Além do valor, que será repassado aos funcionários da rede social, a empresa concordou em oferecer assistência psicológica para os moderadores em serviço.

O acordo deve atingir 11.200 trabalhadores e será destinado aqueles que desenvolveram transtorno de estresse pós-traumático (TEPT) ou problemas relacionados. Os valores da compensação partem de US$ 1.000.

"Estamos tão satisfeitos que o Facebook trabalhou conosco para criar um programa sem precedentes para ajudar as pessoas a realizar um trabalho inimaginável alguns anos atrás, O dano que pode ser sofrido por este trabalho é real e grave”. Disse o advogado dos moderadores, Steve Williams.

Em 2019 uma das empresas que administravam os moderadores do Facebook, a Cognizant ficou reconhecida pelas condições de trabalho insalubres que proporcionava aos seus funcionários. Um total de 800 distribuídos por três cidades dos Estados Unidos.

A mesma empresa tinha ainda no seu histórico processos relacionados a assédio sexual e ameaça de violência. Funcionários da Cognizant disseram à época que a contratação para a prestação de serviços era quase que instantânea. Relatos afirmam que a empresa chegou a contratar um funcionário que possuía 18 acusações de fraude econômica contra o próprio Facebook enquanto era uma startup.


Em entrevista ao The Verge no ano passado, 12 moderadores contaram suas experiencias na Cognizant. Alguns relatos citam a pressão, com folgas de 30 minutos para o almoço. Alguns desses funcionários afirmam que precisam moderar de 100 a 200 conteúdos diariamente contendo cenas explicitas.

O caso do ex-militar Keith Utley ilustra o submundo dos moderadores. Keith sofreu um ataque cardíaco diante do estresse. Sem equipamentos de primeiros socorros na empresa, chamaram uma ambulância, mas ele não resistiu e morreu no hospital.

Após o incidente, ex-funcionários afirmaram que o assunto era proibido na empresa, que informava que Keith tinha sofrido um acidente, mas passava bem. A informação real só foi descoberta quando o pai de Keith foi buscar seus pertences nas instalações da empresa e disse: “meu filho morreu aqui”.

A Cognizant anunciou no fim do mesmo ano que deixaria os serviços de moderação e encerrou o site da empresa.
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »