27/04/2019 às 19h22min - Atualizada em 27/04/2019 às 19h22min

Papagaio vira notícia internacional ao entregar donos à polícia

A ave foi apreendida quando entregaram seus donos a polícia com a seguinte expressão “mamãe polícia”

Francinaldo Borges da Silva - Editor: Ronerson Pinheiro
Foto: Reprodução/Divulgação PM
Um papagaio foi apreendido pela Polícia Militar em um ponto de venda de drogas, na Vila Irmã Dulce, Zona Sul de Teresina (PI).  O caso gerou grande repercussão nacional e internacional.

Segundo o biólogo do parque Zoobotânico, local para onde o animal foi transferido, o papagaio da espécie “Amazona Aestiva” é encontrado no Brasil, Bolívia e Argentina. Bastante popular e inteligente, o animal tem grande facilidade em aprender podendo chegar até os 80 anos de vida. Ainda de acordo com o biólogo, o animal encontra-se em boas condições.

Entenda como foi descoberto o ponto de drogas e o Papagaio

Durante à tarde da última segunda-feira (22), motoqueiros do 17º Batalhão da Polícia Militar faziam rondas na Vila Irmã Dulce quando avistaram um suspeito nas proximidades do local onde o papagaio foi encontrado. Ao ser abordado, os policiais encontraram drogas com o homem. O suspeito acabou levando os militares até o ponto onde foi encontrado o papagaio além de diversos entorpecentes.
 
De acordo com o major Mello, a dona do papagaio é uma mulher conhecida como “Índia”, que já foi presa duas vezes por tráfico de drogas. “Atualmente, ela está acamada, porque sofreu um acidente. Então quem estava despachando era o marido dela”, contou o capitão.
O homem foi preso e encaminhado à delegacia do 17° batalhão.    
 
Ainda segundo o Major, é comum criminosos possuírem um animal desse porte já que ele contribui como uma espécie de “olheiro” quando avista uma certa presença de pessoas estranhas ao local em que está.
 
O veterinário do parque explicou que o papagaio ficará temporariamente com outras aves apreendidas, “O papagaio ficará em um espaço, onde animais apreendidos em cativeiro são readaptados à natureza. O contato com outras aves permitirá que o animal volte a voar  e seja devolvido ao seu habitat natural”, explicou.

Ainda segundo o veterinário, o Zoobotânico recebe todos os dias, inúmeros animais nas mesmas condições em que o papagaio foi apreendido. “Isso acontece demais. Araras, macacos-prego, tatus”, afirmou. Em Teresina, são pelo menos 56 animais em fase readaptação ao habitat natural.

Segundo a Lei 9.605/98 (Lei dos Crimes Ambientais), manter em cativeiro animais silvestres, nativos ou em rota migratória, sem a devida permissão, implica na prática de crime. A pena pode variar de seis meses a um ano de detenção além de multas que variam de R$ 1.625,70 até R$ 16.250,00. O infrator ainda pode responder por crime ambiental.

Editora-chefe: Lavínia Carvalho.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »