25/09/2020 às 12h03min - Atualizada em 25/09/2020 às 11h50min

Semana de Moda de Paris terá apresentações virtuais e presenciais

As apresentações vão ter início nesta segunda-feira (28), e seguem até o dia 6 de outubro

Ana Cristina Morbach - Editado por Larissa Barros
Lilian Pacce, Vogue Brasil
Reprodução / Cláudia

Após meses de debate, a Federação de Alta-costura e Moda, da França, decidiu não cancelar a Semana de Moda de Paris, apesar das mudanças envolvendo a sazonalidade, marcas negando a presença no evento, e dos desfiles do aumento do número de desfiles realizados por plataformas online. Dessa forma, as apresentações vão ter início nesta segunda-feira (28), e segue até o dia 6 de outubro. 

A fashion week parisiense vai adotar o caráter híbrido dos desfiles, sendo assim, os looks de alta-costura serão vistos tanto presencialmente por um grupo pequeno de convidados, quanto virtualmente pelo site oficial da federação. Além disso, o evento vai contar com a divulgação gratuita do cronograma dos estilistas e por fim, dos desfiles. 

Linha do tempo
 
Ao traçar uma linha do tempo onde o ponto de partida, é no ano de 1868, no século XIX, período em que o termo Alta-costura foi criado pelo inglês Charles Frederick Worth, um profissional da indústria têxtil em Paris, na França, é possível tirar uma conclusão acerca desse termo, e como e por que ele é aplicado em uma peça de roupa. 

 


Divulgação

Divulgação

 

De acordo com a jornalista de moda, Lilian Pacce, para poder aplicar esse termo em uma peça, é preciso que ela seja produzida sob-medida, não em série, e especificamente na cidade de Paris, por estilistas ou marcas, que passam pela supervisão do Ministério de Indústria da França, que é diretamente relacionado à federação de alta-costura.

A termo foi reconhecido e decretado em 1945. Com isso, algumas regras foram implementadas com o objetivo de criar desfiles com máxima qualidade. Segundo as normas antigas, o designer de moda tinha que entregar mais de 120 artesãos, desfilar duas vezes por ano e, por fim, a coleção precisaria ter mais de 75 looks feitos sob-medida para poder participar de um desfile de Alta-costura. 
 
No entanto, ainda segundo Lilian Pacce, as exigências foram modificadas e se tornaram menos rígidas para os designers. Atualmente, os estilistas ou marcas precisam ter em seu ateliê ao menos 20 artesãos, cada um com uma especialização em um tipo de costura, como bordados, aplicação de plumas e de paetês, e precisa desfilar pelo menos 20 looks duas vezes por ano para que seu trabalho seja visto nas grandes passarelas.
 
Sendo assim, ingressar em uma semana de moda de alta-costura requer experiência, trabalho e dedicação. Afinal, com peças feitas a mão e para clientes específicos, o produto final precisa mostrar o porquê de ser tão especial.


 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »