30/10/2020 às 00h53min - Atualizada em 30/10/2020 às 00h39min

Os 60 anos de Cebolinha

O personagem criado por Mauricio de Sousa é engraçado na maneira de falar, mas traz alguns questionamentos

Andrieli Torres - Editado por Bruna Araújo
Foto: Instagram da Turma da Mônica
As lembranças das revistinhas da Turma da Mônica surgem à mente como uma das primeiras leituras feitas quando começamos a aprender a ler. E o personagem Cebolinha está marcado por ser engraçado na maneira de falar e pelos cinco fios de cabelo espetados que possui.

Quem nunca trocou a letra R pelo L de propósito ao pronunciar uma palavra, provavelmente nunca leu os gibis da turminha criada pelo cartunista Mauricio de Sousa. Seja qual for a idade, é quase impossível não conhecer o Cebolinha e essa característica marcante dele.

O garotinho de short preto e blusa verde completou 60 anos, e no último domingo (25), muitas homenagens foram feitas para ele. No perfil oficial da Turma da Mônica no Instagram, várias celebridades se uniram em um vídeo para cantar parabéns ao menino de sessenta, com corpinho de oito, idade que ele tem na historinha.

Ele foi criado em 1960, e foi inspirado em um amigo de infância de Maurício, de Mogi das Cruzes, São Paulo. O apelido foi dado pelo pai dele, que achava o cabelo espetado do menino parecido com uma cebola.

Sua primeira aparição foi na Revista Zaz Traz. No ano de 1963 ganhou uma versão colorida na Folhinha de São Paulo. Dez anos depois, em 1973, conquistou a primeira revistinha dele.

A imagem que temos do personagem é de um menino brincalhão e bastante levado, mas que adora zoar a personagem Mônica pelo peso e pelos dentes grandes que ela possui. Quando crianças ríamos com ele, mas já adultos os questionamentos vieram.

Seria Cebolinha um gordofóbico? o site “Livros abertos, aqui todos contam”, projeto da Universidade de Brasília que realiza pesquisa, ensino e extensão sobre a prática de Leitura Dialógica, questiona em um dos textos publicados, se o bordão “baixinha, dentuça e gorducha”, dito pelo garotinho estaria ligado à gordofobia.

Segundo a autora do texto, Amanda Barros, mesmo que seja de forma inconsciente, a série passa uma mensagem negativa em um dos seus quadrinhos. Ela exemplifica quando Mônica fica insatisfeita com o corpo, entre outras questões. Ainda ressalta que "c
ada particularidade, piada, a taxação de cada característica que torna o quadrinho mais divertido."

Em entrevista ao Portal UAI, Mauricio garante que procura que seus personagens sejam legais e que mantenham hábitos que não façam mal a ninguém, que busca a moral e os bons costumes, e principalmente ética.

Provavelmente nos dias de hoje, muitos fãs da HQ não conseguem enxergar o Cebolinha dessa forma, pois a interpretação depende de cada leitor. Porém, é incontestável que o personagem é mais querido do que odiado pela grande maioria.

Referências 

 
Livros abertos aqui todos contam. “O machismo e a gordofobia nos quadrinhos da Turma da Mônica” Disponível em: http://livrosabertosaquitodoscontam.blogspot.com/2015/07/o-machismo-e-gordofobia-nos-quadrinhos.html. Acesso em: 29 de outubro de 2020.

Portal UAI. “Entrevista: Mauricio de Sousa fala sobre a Turma da Mônica, carreira e a arte de desenhar” Disponível em: https://www.uai.com.br/app/noticia/e-mais/2014/11/02/noticia-e-mais,161007/pai-da-monica.shtml. Acesso em: 29 de outubro de 2020.
 

 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »