03/11/2020 às 18h11min - Atualizada em 03/11/2020 às 18h07min

Exposição Sebastião Encantado: homenagem aos 200 anos da Tragédia do Rodeador

Fábio Henrique - Revisado por Jéssica Natacha
Lindoberg Campos, Marcelo Júlio e Júlia Alves
(Foto: reprodução/ NE10)
A Exposição Sebastião Encantado aconteceu entre os dias 23 de outubro a 02 de novembro dentro de um espaço localizado no nº 69 na praça de São Sebastião, em Bonito (PE). O evento foi organizado pelo Doutor em Literatura, Cultura e Contemporaneidade Lindoberg Campos e o escritor e artista plástico Marcelo Júlio, que seguiram todos os protocolos e normas sanitárias impostas pela Organização Mundial de Saúde (OMS) para prevenção e segurança contra a covid-19. 

A exposição tem como objetivo prestar uma homenagem ao bicentenário da Tragédia do Rodeador, um episódio ocorrido em 1820, no município de Bonito, agreste de Pernambuco, onde adeptos do movimento sebastianista liderados por Silvestre José dos Santos, vulgo “Mestre Quiou”, tiveram seu arraial, localizado no Sítio da Pedra, atacado por tropas de Garanhuns e de Recife enviadas pelo governo temendo que o arraial fosse uma ameaça a população. O massacre resultou na morte de noventa e uma pessoas, que tiveram seus corpos queimados numa grande fogueira após a morte.

(Foto: reprodução/ Fábio Henrique)

“É de sumo importância movimentos que retratem a história do nosso município, principalmente com o olhar diferenciado e dinâmico para atingir a maior parcela da população bonitense possível. [Os quadros são] lindíssimos e captam bem o sentimento por trás da tragédia, prendendo assim a atenção do observador”, diz Júlia Alves, moradora de Bonito e estudante de medicina que foi prestigiar o evento.

Além das exposições dos quadros de sua autoria, o escritor Marcelo Júlio aproveitou para fazer o lançamento do livro infantil "Sebastião Encantado" em que ele retrata o movimento sebastianista do Rodeador-PE. O evento contou também com a apresentação da banda municipal “Bandarra Quiou” que animou mais ainda o local.

Apesar de ter como base uma tragédia histórica, o livro não aborda questões de violência nem crueldade, focando apenas em narrar a história de Joana, uma criança moradora do Paraiso Terreal que vê as coisas com olhos de fantasia. O livro e outros quadros do Marcelo podem ser adquiridos no site Rodeador Cultural.

Ao longo dos dias mais de quinhentas pessoas do município de Bonito e região circularam pela exposição. Para os que não puderam ir, o instagram Rodeador Cultural publicou várias fotos e lives que aconteceram durante esses dias.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »