04/12/2020 às 15h33min - Atualizada em 04/12/2020 às 15h29min

Machismo na literatura

Por que grandes escritoras do século XIX tinham receio de publicar uma obra usando seu nome verdadeiro?

Gabriel Leandro - Editado por Gustavo Henrique Araújo
Foto/Reprodução: George Eliot, romancista britânica do século XIX
O machismo é uma triste realidade que sempre existiu, impedindo as mulheres de terem voz ativa na sociedade. Nos dias atuais, muitas coisas mudaram em relação à posição das mulheres no contexto social, mas durante o século XIX e início do século XX existiam muitos empecilhos em relação ao poder feminino, que era praticamente zero.

No campo literário não foi diferente; mulheres por trás de grandes escritos não eram levadas a sério e nem valorizadas. Uma época em que só a força do homem era reconhecida, e o empoderamento feminino era totalmente desprezado, diversas escritoras decidiram usar pseudônimos masculinos para terem suas obras levadas a sério. E sim, infelizmente apenas dessa forma elas obtiveram prestígio e reconhecimento, porque ninguém sabia a real identidade por trás das grandes obras literárias da época.

Algumas escritoras usavam nomes masculinos por conta da força e do reconhecimento dos homens na época, já outras preferiam usar nomes ambíguos, sem dar a entender sua sexualidade, ou utilizavam as iniciais seguidas do sobrenome.

Dentre tantas escritoras que escolheram alterar suas assinaturas no fechamento de seus trabalhos, uma das pioneiras foi Mary Ann Evans, que ficou conhecida apenas pelo pseudônimo de George Eliot. Em suas obras, Evans (ou Eliot, como preferir), trazia relatos importantes, como por exemplo ter a mente aberta, algo que não era visto com bons olhos naquela época; além de ressaltar a importância de procurar a felicidade mesmo que isso lhe custe algo. Na realidade, eram críticas a sociedade da época, a qual vivia tempos retrógrados. Sem mostrar sua identidade real, Mary retratava seu pensamento crítico através de suas obras.

Para Eliot, o que realmente importava era a leitura, independente de quem estivesse por trás das palavras. Através da leitura se exercita a mente e se obtém conhecimento. O principal ensinamento deixado por Eliot foi este: "Manter nosso interesse no mundo e nas pessoas por meio do conhecimento, da leitura e do estudo, além da compreensão, da amizade e do amor".

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »