12/01/2021 às 20h30min - Atualizada em 12/01/2021 às 19h36min

Atlético de Madrid bate Sevilla e dispara na liderança do Espanhol

Colchoneros interromperam a sequência de nove jogos sem derrota da equipe da Andaluzia

Léo Abrantes - editado por Wesley Bião
Jogadores comemoram o segundo gol da partida (Foto: Divulgação/Twitter Atlético de Madrid)

Atlético de Madrid e Sevilla se enfrentaram nesta terça-feira (12), em um jogo atrasado da primeira rodada da LaLiga, em Madrid, no estádio Wanda Metropolitano. Os donos da casa venceram por 2x0, com gols de Ángel Correa e Saúl Ñíguez, um em cada tempo.

Com a vitória, o Atlético, que tem 41 pontos, aumenta ainda mais a vantagem para o segundo colocado, o Real Madrid, e ainda tem dois jogos a menos, portanto a diferença de quatro pontos pode ir para dez. Já o Sevilla perdeu a oportunidade de chegar mais perto das primeiras colocações e estaciona na sexta colocação, com 30 pontos.
 

PRIMEIRO TEMPO

O início de partida foi bem equilibrado: ambas as equipes tiveram oportunidades de construir jogadas de pé em pé e acharam espaços para serem explorados. Mas, o que aparentava mesmo era uma partida de ataque contra defesa, sem muitas trocas de posses de bola, já que qualquer transição poderia ser fatal para ambas as equipes. Apesar das poucas trocas de posses não era por falta de tentativa, pois os times subiam a marcação e tentavam forçar o erro, mas poucas vezes tinham sucesso.

Mesmo com o equilíbrio, os madrilenhos levavam mais perigo porque conseguiam quebrar mais as linhas de defesa e acionar os laterais e pontas mais facilmente. E foi justamente pelas laterais que o primeiro gol da partida foi construído. Depois de algumas trocas de passes, Thomas Lemar tocou na lateral para Trippier chegar cruzando rasteiro para a grande área, encontrando Correa, que dominou, girou e finalizou no canto do goleiro Bono. Aos 17 minutos, o Atlético vencia por 1x0.

Após o gol, o cenário mudou um pouco: o Sevilla começou a crescer mais na partida, aumentando o número da posse de bola – que chegava aos 59% aos 31 minutos de jogo – e o tempo no segundo e terceiro terço do campo. As tentativas do Sevilla, porém, não foram muito efetivas, devido à dificuldade de quebrar as linhas e encontrar um companheiro livre. Enquanto o Sevilla atacava, o Atlético de Madrid contra-atacava, muitas vezes com perigo, usando muitas triangulações e passes em profundidade.

Perto do fim do tempo, o cenário não se alterou e as equipes diminuíram drasticamente a intensidade, esperando o fim da primeira etapa. O Sevilla permaneceu com os seus 59% de posse de bola e ainda finalizou quatro vezes, mas apenas uma foi em direção ao gol; já o Atlético de Madrid também finalizou quatro vezes, sendo três em direção ao gol, incluindo, claro, o gol de Correa.

 

SEGUNDO TEMPO

Na tentativa de mudar o placar da partida, o Sevilla continuou com a postura mais à frente, só que dessa vez buscava passes mais verticais e lançamentos, para que a defesa madrilenha não pudesse estar totalmente postada e conter as trocas de passes. Uma das principais peças do Sevilla era Lucas Ocampos, que conseguia criar jogadas e receber a bola em velocidade também.

E quanto mais o tempo corria, maior era a pressão do Sevilla, com as linhas bem avançadas e um Atlético sem muita intenção de contra-atacar. Quando a defesa do Atleti se encontrava bem postada era muito difícil qualquer infiltração, então as principais oportunidades da equipe andaluzia foram a partir de jogadas individuais e bolas paradas.

Após muito tempo de pressão, o Atlético de Madrid começou a sair mais e apertar a saída de bola do Sevilla, muito por conta das substituições feitas, pois as entradas de Saúl e João Félix modificaram o estilo da equipe de Madrid, o que foi importante para superar a pressão. Justamente essa pressão mais a frente foi a responsável do time recuperar a bola e ter um grande espaço para contra-atacar, e Saúl recebeu essa bola na meia-lua e finalizou no cantinho. Aos 31 minutos, 2x0 Atlético de Madrid.

Mesmo com a diferença maior ainda, o Sevilla continuou buscando fortemente diminuir a diferença, enquanto a equipe de Diego Simeone se trancava lá atrás e tentava impedir qualquer progressão. Se a dificuldade era construir jogadas, a solução do Sevilla foi cruzar para a área e apostar nas bolas paradas - e quase conseguiu marcar o gol em uma das jogadas, mas ainda assim saiu zerado da partida. 

PRÓXIMOS CONFRONTOS

A equipe vencedora retornará aos gramados no dia 21 de janeiro, às 17h30 (horário de Brasília), em partida válida pela LaLiga, contra o Eibar. Já o Sevilla tem confronto no dia 16 de janeiro, às 16h, válido pela Copa do Rei, contra o Leganés.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »