12/02/2021 às 20h03min - Atualizada em 12/02/2021 às 19h44min

Carros Elétricos: Um mercado em desenvolvimento

O mercado de carros elétricos vem crescendo devido a preocupação com o futuro do meio ambiente

Leonardo Leão - Editado por Camilla Soares
EDP

 Em nossa geração, a preocupação com o meio ambiente tem se tornado um dos principais temas a serem debatidos. Essa preocupação fez com que governos e também empresas, procurassem por soluções para esse problema. Um dos setores que enxergou a necessidade de fazer algo a respeito foi o automobilístico, um dos mais poluentes do mundo. Esse setor vem investindo em tecnologia para diminuir o prejuízo causado no meio ambiente.

 Uma dessas apostas para solucionar o problema relacionado à poluição é o carro elétrico. Diferente do que muitos pensam, o automóvel movido a energia elétrica é uma tecnologia antiga, existe desde o século XIX. Esse tipo de veículo perdeu espaço para os carros com motor a combustão no século passado, mas tudo leva a crer que eles podem voltar a dominar as ruas no futuro.

Resultados Obtidos:
 No ano passado, esse segmento superou a crise no setor automobilístico, causada pela pandemia, e alcançou 3,1 milhões de veículos vendidos em todo planeta. Isso equivale a um aumento de 43% se comparado com o ano de 2019. Podemos destacar o mercado europeu com 1milhão de carros vendidos; China com 1,3 milhão de unidades e os Estados Unidos com 328 mil.

 Sobre o mercado brasileiro, a especialista em mobilidade elétrica Silvia Barcik, afirmou que o setor está muito aquecido desde 2020, ano em que obteve um crescimento de 66% nas vendas, segundo dados da Associação Brasileira do Veículo Elétrico (ABVE). Para a especialista, esse resultado é um excelente sinal em um momento de crise na indústria automotiva convencional, com uma queda de aproximadamente 30%. Esse aumento é uma indicação do interesse das empresas e das pessoas pela sustentabilidade. O modelo mais vendido no país em 2020, entre os 100% elétricos, foi o Audi e-tron com 183 unidades, sendo 133 na versão SUV e o restante na Sportback. A marca alemã também já anúnciou, neste ano, a chegada do e-tron GT.

 A primeira empresa a ter sucesso neste segmento foi a Tesla, dos modelos elétricos vendidos nos EUA em 2020, 79% foram fabricados por ela. A empresa também possui o veículo elétricos mais vendido no mundo, o Tesla Model 3. Mas esse domínio já está sendo desafiado por grandes montadoras, como Volkswagen e BMW. Na opinião de Silvia Barcik, as questões que impulsionaram diretamente as montadoras a favor desse movimento, foram as restrições as emissões de CO² baseadas nas mudanças climáticas e nas políticas internacionais e, as reservas disponíveis de petróleo, um bem finito.

 Ela também destaca o papel das cidades e dos países com a criação de zonas de baixa emissão e os projetos de banimento de veículos a combustão no curto prazo. Silvia aponta para o papel das montadoras nessa questão, o transporte é responsável por um terço das emissões de CO². Elas buscam solucionar este problema, na qual elas também fazem parte, trabalhando com veículos de baixa emissão e com projetos de mobilidade urbana.

 Esse é um mercado que ainda tem muito a oferecer, grande parte da população mundial ainda não possui esse tipo de veículo. Mas os resultados conquistados até o momento são surpreendentes. A Tesla conseguiu alcançar 500 mil unidades fabricadas em 2020 e a montadora alemã Volkswagen, aproveitou o bom momento do setor na Europa e vendeu mais de 231 mil veículos.

Panorama Futuro:
 Sobre a disputa entre as montadoras tradicionais e as demais fabricantes, Silvia afirma que é ilusão imaginar que apenas as montadoras tradicionais faram parte desse jogo. Ela destaca a transformação que está ocorrendo no setor de mobilidade. Marcas como Tesla e Nikola, possuem os seus nichos e são fortes competidores dentro deles. Os clientes, no futuro, serão diferentes, o conceito do carro como serviço está em transformação e os player desse mercado terão que se adaptar. Ela lembra também que esse ecossistema vai além do carro e o cliente, existe outros aspectos como a geração e o armazenamento de energia.

 Em 2016, a Tesla anunciava a compra da SolarCity por US$ 2,6 bilhões. Essa aquisição marcava a entrada da empresa no setor energético, o CEO da Tesla, Elon Musk, é um empresário de grandes ideias e uma delas é fornecer energia limpa para o mundo inteiro. Musk chegou a afirmar que com o desenvolvimento dos carros elétricos a demanda global por energia elétrica irá dobrar nos próximos anos.

 O empresário acredita que será necessário cerca de 20 anos para concluir a transição para a mobilidade elétrica. Mas Silvia destaca que os carros elétricos não são algo do futuro, mas sim do momento, tanto no Brasil quanto em outros países. Afinal, teremos que eletrificar nossa frota, caso contrário, teremos problemas com o nosso planeta. “Portanto o veículo elétrico é presente e não futuro”, afirma Silvia Barcik.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »