21/02/2021 às 10h14min - Atualizada em 21/02/2021 às 10h48min

O Mágico de Oz ganhará nova versão feita pela mesma diretora de Watchmen

Aline Fonseca - Editado por Fernanda Simplicio
Foto:Warner Bross / Reprodução: Revista de Cinema

 

O clássico infantil mais amado pelos adultos, O Mágico de Oz ganhará mais uma versão e dessa vez, dirigida pela mesma diretora que produziu três episódios da premiada minissérie Watchmen, Nicole Kassell. Essa nova versão,baseada no livro “ O Maravilhoso Mágico de Oz” de L. Frank Baum terá uma nova abordagem, mas fará diversas referências e homenagens ao clássico de 1939.

 

“Estou incrivelmente honrado em me juntar à Temple Hill e à New Line para trazer este amado clássico para as telas”, disse Kassell. “Embora o musical de 1939 faça parte do meu DNA, estou alegre e humilde com a responsabilidade de repensar uma história tão lendária. A oportunidade de examinar os temas originais - a busca por coragem, amor, sabedoria e lar - parece mais oportuna e urgente do que nunca. Esses são sapatos profundamente icônicos para preencher, e estou ansioso para dançar ao lado desses heróis da minha infância enquanto pavimentamos uma estrada de tijolos amarelos recém-cunhados! ”

 

O filme instigou também a produção de outras adaptações sendo dois exemplos:

Tin Man - A Nova Geração de Oz

Não tão conhecida, a minissérie conta a história da garçonete DG, o Homem de Lata e seus companheiros em uma viagem pelo místico mundo de Oz. Essa releitura de O Mágico de Oz traz reviravoltas nunca antes vistas nos sonhos de Dorothy, nos levando muito além do arco-íris.


 
 

Oz, Mágico e Poderoso 

Dirigido por Sam Raimi mostra a história antes da chegada de Dorothy na terra de Oz. Não foi bem recebida pela crítica mas foi um imenso sucesso de bilheteria. Traz o James Franco como o mágico.

 


 

Mas o que faz essa história ser tão importante até hoje? Nada mais nada menos do que a mensagem que Baum passa. Ele sustenta a história por três pilares – cérebro (pensar), coração (amar) e coragem (agir). O leão retoma a falta coragem, o homem de lata que não possuía o coração e o espantalho que não tinha cérebro.

 

“Não consigo suportar a minha vida sem pelo menos um pouco de coragem. Enquanto eu souber que sou covarde, vou ser infeliz”, diz o Leão Covarde.

 

“Sei que você tem muita coragem. Só precisa de confiança em si mesmo. Não existe criatura viva que não sinta medo quando se vê diante do perigo. A verdadeira coragem consiste em enfrentar o perigo mesmo com medo, e esse tipo de coragem você tem de sobra, rebate Oz.

 

Vou ficar muito infeliz se você não me der o tipo de coragem que faz a pessoa esquecer que está com medo”, insiste o Leão Covarde.

 

O mágico completa: “Muito bem, então lhe darei esse tipo de coragem.”

 

Acredito eu que nos dias atuais, nada melhor do que assistir um clássico assim, que me dê um pouco mais de esperança.




REFERÊNCIAS:
NOGUEIRA,P. Por que O Mágico de Oz segue atual, 120 anos depois do primeiro lançamento. Estado de Minas. 19 de abr. 2019. Disponível em: < https://www.em.com.br/app/noticia/pensar/2019/04/19/interna_pensar,1047442/por-que-o-magico-de-oz-segue-atual-120-anos-depois-do-primeiro-lancam.shtml​ >  Acesso em: 18 de fev de 2021.

RUBEN,R. ‘Wizard of Oz’ Remake in the Works at New Line With Director Nicole Kassell. Variety. 09 de fev. 2021. Disponível em: < https://variety.com/2021/film/news/wonderful-wizard-of-oz-remake-1234904194/>  Acesso em: 18 de fev. de 2021.
 

 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »