05/03/2021 às 11h37min - Atualizada em 05/03/2021 às 11h27min

Crônica: em quem estamos nos inspirando?

O Big Brother Brasil 21 é um exemplo entre a expectativa x realidade

Larissa Bispo - Editado por Andrieli Torres
Foto/Reprodução: Pixabay
“É nessa pessoa que eu me inspirava?”, você, eu, todos nós nos perguntamos isso em algum momento. Pode ter sido ontem ou até hoje, inclusive. E sem ir longe, afinal, esse espetáculo de erros e julgamentos dentro das redes sociais chega em segundos até sua mão.

Uma celebridade ou o influenciador favorito do momento, ambos cometem um erro questionável que repercute na internet, levando consigo uma onda de cancelamento e fluxo constante de opiniões negativas. A frustração é certeira, passada a (quase sempre) ligeira negação, e o inevitável embate da expectativa contra a verdade acontece.

Atualmente, o Big Brother Brasil 2021 (BBB) é um grande exemplo do famoso paralelo expectativa versus realidade. Atores, cantores, humoristas, entre outros, são parte do grupo camarote do recente formato do reality. A expectativa de nossa parte é imediatamente gerada, ou seja, ficamos à espera do que somos acostumados a ver através das redes sociais dessas pessoas.

Quando não vemos o que esperamos – ou talvez queiramos – nos sentimos, de alguma forma, enganados. O famoso “quero ser assim quando crescer” se transforma em decepção e frustração diante de atitudes, falas e declarações que não condizem com nosso pensamento e nem o que estávamos acostumados a ver sendo pregado dentro da internet.

No entanto, essas questões não se restringem apenas ao meio midiático e redes sociais. Quantas vezes o mesmo não acontece com pessoas do nosso próprio convívio? um amigo que se posicionou ou fez comentários inadequados (dentro ou fora do digital) ou, em algum momento da pandemia da Covid-19, promoveu algum tipo de aglomeração. Não era o que esperávamos dessas pessoas, mas foi o que aconteceu e, às vezes, ainda custamos acreditar porque temos a estranha mania de projetar somente uma imagem de bons ângulos de alguém que admiramos.

Em quem, de fato, estamos nos inspirando?

Em pessoas imperfeitas, todos nós. Em “fadas sensatas”, a cada posicionamento bonito dentro da internet. Em pessoas do nosso círculo social ou família, a todo momento.

Ouso dizer que nos deixamos enganar por esses bons ângulos. Quando nos inspiramos em alguém, dificilmente fazemos isso a partir de alguma situação negativa dessa pessoa. Somos atraídos pelo bonito, pela persona sempre inteligente, correta, humilde e ponderada e esquecemos que sob essas camadas há lados não tão atraentes, tampouco inspiradores.

Quem sou eu para dizer que se inspirar é um ato errado ou ingênuo. Logo eu, que me inspiro em tanta gente. Mas, após aprendizados e experiências, agora talvez com um pouco mais de consciência e menos expectativa. Afinal, sou uma pessoa imperfeita que se inspira em outras pessoas imperfeitas.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »