22/03/2021 às 20h33min - Atualizada em 22/03/2021 às 20h30min

Polícia Civil encerra festas clandestinas no estado de São Paulo

Desde o começo da fase vermelha do plano São Paulo, o Procon-SP já fiscalizou 636 estabelecimentos e autuou 100 deles

Julia Wellmann - Editor: Ronerson Pinheiro
Foto: Polícia Civil encerra festas na Grande São Paulo - Reprodução/Governo de São Paulo
 
Mesmo após o decreto de fase emergencial no dia 15 de março feito por João Dória (PSDB), governador de São Paulo, para evitar colapso no sistema público de saúde que já conta com mais de 91% dos leitos da UTI ocupados e com mais de 66 mil mortes no estado, inúmeras denúncias de aglomerações e festas clandestinas foram feitas a polícia civil e militar.

São Paulo que já passa de 2.3 milhões de casos de coronavírus conta com uma operação da polícia civil e militar juntamente com o Procon-SP e a Vigilância Sanitária Estadual para autuar as festas clandestinas que ocorrem em todo o estado. Desde o começo da fase vermelha do plano São Paulo, o Procon-SP já fiscalizou mais de 636 estabelecimentos e autuou 100 deles.

Quem desrespeitar o decreto organizando eventos e festas poderá pagar multa. "Sendo fornecedor que está realizando evento, ele será submetido a processo administrativo do Procon, o que levará a aplicação de multas que podem chegar a R$ 10.260.000", afirmou Fernando Capez, diretor do Procon.

Segundo o Info Tracker, ferramenta de monitoramento do avanço da pandemia do novo coronavírus criada pelas universidades estaduais Unesp e USP, baseado em Inteligência Artificial, a taxa de transmissão do vírus no estado de São Paulo já ultrapassa 1,21, podendo ter um aumento no número de infectados. O número de reprodução do vírus precisaria estar igual ou abaixo de 1 para a pandemia ser considerada controlada.

Com a permanência das festas clandestinas e aglomerações, o número de reprodução do vírus aumenta, causando futuramente colapso no sistema de saúde público que já está chegando a sua capacidade máxima.

Saiba como denunciar aglomerações e festas clandestinas

Para denunciar festas clandestinas, aglomerações ou um estabelecimento que não deveria estar funcionando durante as restrições de circulação ou que permita às pessoas não usarem máscaras, deve-se ligar para o telefone 0800-771-3541 e também pelo site do Procon-SP www.procon.sp.gov.br ou Centro de Vigilância Sanitária secretarias@cvs.saude.sp.gov.br.


Editora-chefe: Lavínia Carvalho 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »