26/03/2021 às 10h22min - Atualizada em 26/03/2021 às 10h07min

Crônica: Aniversários na pandemia, por que celebrar?

A importância que há em comemorar mais um ano de vida em meio a tantas vidas perdidas

Hellen Almeida - Editado por Andrieli Torres
Foto: Reprodução/Estadão Imovéis
Olá, sei que mal nos conhecemos, mas posso te contar um segredo sobre mim? Sei que manterá isso apenas entre nós: eu, Clara Fernandes, nunca gostei de comemorar meu aniversário. Por qual razão? Não sei explicar, desde que me entendo por gente, nunca compreendi a necessidade de celebrar mais um ciclo lunar: “as pessoas estão - claramente - vendo que estou viva, então para que tudo isso?!”, eu pensava. Mas, eis que então, uma pandemia se apoderou do mundo que eu conhecia, e essa minha opinião sobre tal evento mudou totalmente.

Mas não percebi essa alteração até o dia em que completei 21 anos (ontem). Naquela manhã, fui surpreendida por uma estranha tristeza, que em anos anteriores sempre fora preenchida por indiferença, Não tive total compreensão do que se passava de maneira imediata, mas com o passar das horas eu entendi: diferentemente dos outros anos, eu não tinha o poder da escolha - uma coisa é você não querer, outra bem diferente, é não poder - e justamente vindo de um ano onde tudo é incerto, eu desejava aquela comemoração, por mais cafona que ela fosse.

Porém, sempre tive a racionalidade como uma característica pessoal e a matemática para mim era simples: eu + pessoas = aglomeração, e eu não iria ser egoísta ao ponto de cogitar expor quem amo à Covid-19, afinal, o isolamento não é apenas sugerido, mas necessário. Moral da história? Nada aconteceria. Ou ao menos, era o que eu pensava.

Mesmo sendo o meu dia, tinha muito o que fazer - faculdade remota, não é? Meu colega de classe, Luís, já compartilhou a história dele por aqui, então já conhecem nossa rotina árdua - então, quando minha mãe gritou meu nome em direção a sala apenas desci as escadas o mais rápido possível, (pois o prazo para a entrega de uma pauta estava apertado), então imaginem a minha surpresa quando vi ela e minha irmã na mesa de jantar, com um bolo e velas formando o número 21, docinhos e até mesmo um balão de festa?! Como se não bastasse, uma gritaria em direção ao computador apoiado a mesa chamou a minha atenção, “SURPRESA!”, era o que diziam meus amigos e familiares na sala de videoconferência.

Estava tão chocada que não sabia o que dizer - e todos que me conhecem sabem o quão difícil é me fazer perder as palavras - até que, interrompendo meu devaneio interno, minha irmã disse timidamente “sabemos que você não gosta de comemorar seu aniversário, mas tem trabalhado tanto e estando tão isolada que pensamos em...” não deixei que ela concluísse sua fala, pois lhe dei o maior abraço que pude, e depois em meio às lágrimas, fiz o mesmo em minha mãe. Passei aquela noite da melhor forma possível, ver o rosto de todos os que amo ainda que remotamente foi emocionante, cantamos parabéns e registramos o momento com fotos e prints de tela.

E foi rodeada por tanta alegria que eu compreendi: não se trata apenas de comemorar mais um ano de vida, mas sim ter a oportunidade de demonstrar seu amor para com alguém importante no seu dia, e em tempos onde tudo é instável e obscuro, sinto apenas gratidão por cada dia, desde os já vividos até os que ainda viverei.

Então, deixo claro aqui que desse dia em diante quero comemorar todos os aniversários que eu puder, e ter a esperança de que no próximo eu possa de fato abraçar cada um presente, enche meu coração de alegria.

Com esse pensamento, passei a madrugada em claro navegando pela internet, buscando outras formas de comemorações remotas para meus amigos que ainda farão aniversário, quero fazer algo incrível por eles. Descobri que confeiteiros têm vendido “kit festa”, onde nele vem todos os alimentos e enfeites necessários para uma reunião caseira, “posso encomendar um desses para minha irmã mês que vem”, pensei, e para meus amigos, posso contratar um serviço de festa drive-thru, assim, estaremos juntos e ao mesmo tempo seguros.

Não sei dizer até que horas fiquei nessa busca, mas ao finalmente deitar, dormi com um sorriso no rosto, acompanhado de uma leveza no peito. Hoje posso dizer que entendo o real significado desse festejo, e espero que com essa leitura, você também o tenha.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »