23/04/2021 às 11h44min - Atualizada em 23/04/2021 às 11h34min

A arte feia e inusitada

Obras de arte que trazem indiferença e dividem opiniões sobre o que são e o que representam

Karen Belém - Editado por Gustavo Henrique Araújo
Foto/Reprodução: Google
A arte pode ser considerada um grande alimento para a imaginação e na imaginação ela desfruta de uma infinidade de modos e apresentações, que dependendo do tempo ou lugar pode ter diferentes sentidos e  perspectivas.
 
Ao longo da história da arte nos deparamos com diversos movimentos que buscavam distintas rupturas e objetivos ao se apresentar, entre eles encontramos, por exemplo, o dadaísmo que tem como principal característica não significar coisa alguma, sendo uma oposição radical contra a organização, a lógica e aos valores estéticos tradicionais.

Ao ver obras inusitadas, feias ou mal feitas contempladas pelo senso comum, é normal questionarmos  o porquê são consideras arte. Na maioria das vezes essas mesmas obras fogem da harmonia, proporção e direção de perfeição, que é onde a beleza se encontra mais estruturada, trazendo indiferença aos olhos quando não identificadas. Muitas dessas obras também procuram chocar ao invés de refletir, deixando de pintar coisas para pintar ideias, fazendo uma ruptura com a arte tradicional e trazendo uma expressão pessoal. O grande problema se encontra quando a arte corre risco de se perder na subjetividade e sendo tudo acabar por também não sendo nada.
 
Em Boston, nos EUA, encontramos o Museu da Arte Feia, trazendo como slogan a frase "arte ruim demais para ser ignorada", sendo seu objetivo "trazer o pior da arte para as mais amplas audiências". As obras selecionadas vem da  tentativa autêntica de produzir arte que tenha dado errado por algum motivo. Apesar de o acervo ser praticamente de pinturas, o curador já inseriu outras formas de arte nas exibições do museu, como uma playlist de músicas ruins que tocavam em eventos do Moba.
 
Apesar de até haver sentido e expressão em muitas dessas obras inusitadas e até consideradas feias, a quem concorde que elas continuam sendo peças duvidosas, mas não deixam de ter também seus admiradores.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »