08/06/2021 às 14h51min - Atualizada em 08/06/2021 às 14h30min

A Guerra dos Streamings

Em alta, serviços buscam oferecer o melhor conteúdo ao consumidor

Gabriel Ferreira Pereira - Revisado por Damáris Gonçalves
Foto: Divulgação/Infomoney
Os serviços de streaming estão em alta no quesito de entretenimento. Uma das principais razões para esse vasto crescimento seria o fechamento de cinemas, teatros e casas de shows por conta do isolamento social. Esses serviços estão provocando mudanças radicais no mercado audiovisual, entrando em disputas cada vez mais acirradas por público e aproveitando brechas em mercados segmentados.
 
Recentemente, acompanhamos o lançamento oficial do HBO Max, que chegará no fim de Junho ao Brasil, repleto de novidades como a transmissão da Champions League e a chegada exclusiva de lançamentos do cinema. Mas a pergunta que fica: De que forma as outras plataformas têm reagido a tamanhas novidades?


Líder no segmento, a Netflix se reforça com conteúdos próprios que sempre caem no gosto do público, como a nova temporada de Ragnarok e Lúcifer, além de filmes originais. A Amazon Prime Video também se reforça de conteúdos próprios, trazendo produções novas e até mesmo com a chegada da MGM, comprada pela companhia. A compra irá reforçar ainda mais o seu catálogo e intensificar a guerra dos streamings.
 
Mas e as demais plataformas? Disney Plus e Paramount Plus apostam em sucessos já consolidados. Na empresa do Mickey Mouse, temos a chegada de Loki, do famoso Universo Cinematográfico da Marvel, além de Cruella, a vilã inesquecível de 101 Dálmatas. Enquanto na empresa dona do Bob Esponja, temos a chegada de iCarly, revivendo a série exibida pela Nickelodeon entre 2007 e 2012.
 
Já o Globoplay busca se reinventar com o término do BBB 21. No início de maio, a plataforma buscou oferecer o melhor da TV Globo e conteúdos feitos para os canais por assinatura da emissora e exclusivamente para o streaming. Inclusive, a mesma plataforma oferece planos compostos de filmes e séries, a exemplo do Disney Plus, Telecine, Apple TV e entre outros.

 
Vendo toda a observação por parte das plataformas, fica-se a seguinte pergunta: A Guerra dos streamings é algo que vale a pena? Para o consumidor Daniel Alves, sim. Ele conta que a expansão de mercado irá beneficiar a população no geral que terá mais opções. "As pessoas não vão ficar só na Netflix por exemplo, que cobra quase 50 reais por 4 telas, agora tem a chegada do HBO Max, que possui a possibilidade de 4 telas e não cobre nem 30 reais", relata Alves. Ele ainda argumenta que o assinante dos streamings só tem a ganhar com a maior variedade de conteúdos.
 
Para a consumidora Hellen Almeida, a experiência dos streamings se expandir por todo o mundo tornou-se algo incrível. "Acredito que especialmente na pandemia isso ficou bem claro. Todos possuem ao menos uma assinatura. Sem falar que esse leque de opções é interessante, já que o cliente escolhe o que melhor se adequa às suas necessidades” , conta Hellen. A assinante ainda analisa a inteligência por parte das plataformas de trazer conteúdos nostálgicos ao consumidor. "Carrega toda uma bagagem emocional para quem acompanhou antigamente", finaliza.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »