14/06/2021 às 08h49min - Atualizada em 14/06/2021 às 08h33min

Aqui não!

Expectativas são frustradas com hostilidade em território estrangeiro

Letícia Pessôa - Editado por Talyta Brito
Foto: Reprodução/Google
A ideia de recomeçar a vida em outro lugar é repleta de animação para os estrangeiros que se aventuram em outros países, mas nem sempre a recepção segue o esperado. O clima de hostilidade enfrentado por estrangeiros longe de sua pátria tem nome: xenofobia. Essa aversão ao imigrante é relacionada com as diferenças raciais, culturais, econômicas, sociais e histórica. Mesmo quando buscam a vida em terras familiares o preconceito é recorrente. Em 2019, duas Universidades tiveram suas fachadas vandalizadas com mensagens discriminatórias contra brasileiros que ali estudavam, em uma delas o recado:

 
 
 “Zucas, voltem para as favelas. Não vos queremos aqui!"
 
Os estereótipos atribuídos a população brasileira são preocupantes. Enquanto os homens são vistos como boêmios, as mulheres são extremamente sexualizadas e tidas como “caçadoras de marido”. Essa imagem foi  construída entre as décadas de 1960 e 1980 e amplamente  veiculada nas revistas de propaganda turística da Embratur, reforçando a ideia de sexualização da mulher brasileira. Em uma entrevista para o portal Uol, a pesquisadora Kelly Akemi Kajihara expõe como os danos que esse imaginário sobre a mulher é danoso:
 
“Um ponto que é bastante problemático é a promoção de mulheres sensuais como um produto turístico a ser consumido como as praias, paisagens e festas populares. Até hoje elas são vistas em muitas situações como fáceis, sensuais e provocantes.”
 
A xenofobia não se resume apenas no contexto sexual sobre as mulheres. Os últimos quatro anos foram repletos de falas xenofóbicas vindas do ex-presidente estadunidense Donald Trump, além do projeto de criação de um muro para evitar que imigrantes mexicanos e latinos cruzassem a fronteira.


 Os praticantes do Islamismo também enfrentam esse preconceito vindo dos norte-americanos, no qual prevalece a associação imaginária desses indivíduos com terroristas e desde o 11 de setembro essa ideia tem ganhado forte apelo. A perpetuação da xenofobia se mantém devido ao receio do desconhecido que por intermédio de atos violentos e discriminatórios segregam grupos distintos considerados inferiores a população local. Por mais complicado que pareça é necessário entender a origem da xenofobia, que elementos históricos e culturais as fomentam e que medidas devem ser aplicadas para redução da discriminação entre povos de origens diferentes. Compreender que imigrantes buscam um lugar como pátria para ter uma nova perspectiva de vida e devem ser respeitados.

 
 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »