14/06/2019 às 17h58min - Atualizada em 14/06/2019 às 17h58min

Consumir sem destruir: Um mundo com menos plástico

Isabelle Miranda - Editado por Thalia Oliveira

Embora tenha muitas qualidades, o plástico é uma das grandes preocupações atuais, devido aos impactos ambientais gerados em sua produção, consumo e descarte. O plástico tem sido considerado um vilão para o meio ambiente, sendo responsável pela morte de mais de 100 mil animais marinhos a cada ano. Ele causa prejuízos incalculáveis, que prejudica a vida na terra.
O material foi criado no fim do século XIX, para substituir produtos feitos a partir do marfim dos elefantes, de acordo com a reportagem especial da National Geographic. Naquela época, o substituto foi um plástico feito com celulose, que posteriormente passou a ser produzido à base de petróleo, afim de barateá-lo e garantir mais qualidade e durabilidade. Desde então, seu uso cresceu exponencialmente, estimando uma quantidade de 8,3 bilhões de toneladas, sendo apenas 9% reciclado, 12% incinerados e 79% acumulados em aterros sanitários, lixões ou despejados no meio ambiente.
Consequência essa que cria uma série de problemas ambientais, como contaminação, extinção de animais marinhos e até problemas para saúde humana. Segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), o plástico é um dos grandes desafios da atualidade, por isso, foram reunidas informações sobre como o plástico é prejudicial e alternativas sustentáveis para substituí-lo no dia a dia.
Plástico e meio ambiente


Fotografia: Isabelle Miranda
Durante sua fabricação, uma centena de materiais tóxicos são emitidos, como o etileno, xileno e benzeno. 12% dos plásticos são incinerados, e durante a queima dos produtos químicos venenosos são eliminados durante a combustão e podem contaminar seres vivos como um todo e prejudica a atmosfera, pois na eliminação de elementos tóxicos pelo ar, atinge a respiração dos seres humanos, animais e plantas, de forma agressiva.
O plástico leva em média 400 anos para se decompor e durante esse tempo há uma liberação de elementos tóxicos como o Bisfenol A, que danifica o sistema reprodutivo dos animais. Quando jogado em locais indevidos, é consumido pelos animais, podendo ser fatal; outro fator que mostra o perigo desse material é que o plástico ingerido permanece intacto após sua morte e decomposição do animal.
Outras alternativas
Fotografia: Paz em Gaia/Divulgação
As sacolas em supermercados podem ser substituídas por ecobags, além de serem muito práticas de usar - pois são espaçosas e facilitam na hora de carregar-, contribui para o não entupimento de bueiros e retenção de lixos.
Outra discussão sobre a sustentabilidade está relacionada a substituição dos canudos de plástico. Muitos lugares proibiram seu uso devido à poluição, morte de diversos animais e quase nunca são reciclados, com isso foram criadas diversas alternativas como os canudos de inox, bambu, silicone.
Itens descartáveis: A marca brasileira menos 1 lixo desenvolveu um copo retrátil de silicone. Por ser retrátil dá para levar para qualquer lugar para tomar uma bebida, água de coco, suco, refrigerante, sorvete... o que você quiser! A marca também tem talheres retrateis de bambu e inox.
Outra dica super importante para ajudar o meio ambiente e melhorar a qualidade de vida é optar por produtos biodegradáveis, eles seguem um processo de decomposição natural no meio ambiente, existindo opções com matéria-prima orgânica, como fécula de mandioca, fibra de coco, cana-de-açúcar, etc.
Substitua itens de higiene pessoal, como fraldas e absorventes descartáveis por versões ecológicas, como fraldas de pano e coletores menstruais. Os cotonetes possuem uma versão em bambu, e os sabonetes e shampoos podem ser trocados pela versão sólida para evitar uma considerável produção de lixo.
Esses pequenos atos contribuem na redução desse material no meio ambiente, “juntos somos um oceano”.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »