01/10/2021 às 09h45min - Atualizada em 01/10/2021 às 09h29min

NFTs: o que são e qual seu impacto atual no mundo digital?

Os tokens não fungíveis têm aberto diversas oportunidades de grande relevância, principalmente em meio digital, onde negociações de ativos digitais exclusivos podem ser extremamente rentáveis.

Clara Beatriz Ferreira - Editado por Manoel Paulo
(Foto: Divulgação/PayTechLaw)
Tokens não fungíveis, também conhecidos como NTFs, são criptoativos colecionáveis e que muitas vezes possuem um certificado de propriedade para que possam ser considerados exclusivos. Nos últimos meses sua presença no meio digital tem ganhado grande destaque, o que tem possibilitado aos vendedores desses ativos digitais atingirem valores recordes em negociações de produtos virtuais por todo o mundo.

Os NFTs podem representar virtualmente qualquer tipo de item, seja ele real ou intangível, incluindo toda e qualquer categoria. Dentro do mundo dos tokens infungíveis estão incluídos trabalhos artísticos, músicas, gifs, cards e vídeos de esportes diversos, além dos colecionáveis mais comuns como itens virtuais dentro de jogos, que disponibilizam conteúdos de skin, moedas digitais, armas e avatares.

É importante ressaltar que apesar de se assemelharem à criptomoedas e usarem a mesma tecnologia, chamada blockchain, os NFTs se encontram em outra categoria para transações de compra, venda e troca por produtos colecionáveis digitais. A tecnologia do sistema blockchain permite rastrear o envio e o recebimento de informações pela internet. De maneira geral, o sistema fornece informações codificadas sobre o produto a ser adquirido, funcionando como um bloco de dados em uma corrente.

Os criadores de NFTs têm se tornado estrelas nas mais renomadas casas de leilões de arte do mundo, e donos de fortunas em dinheiro.

Recentemente o mundo do esporte também decidiu aderir à utilização de plataformas com tecnologia de ativos digitais para compartilhamento e troca de colecionáveis de cards virtuais e momentos exclusivos das grandes personalidades do esporte. Um exemplo a ser citado são as jogadas exclusivas da NBA, que são compradas e vendidas em NFT por meio da NBA Top Shot, uma plataforma na qual os fãs compram e vendem tokens de jogadas oficialmente licenciadas e chamadas de "moments".

Os clubes de futebol também passaram a atrelar suas imagens a produtos colecionáveis digitais. Grandes times como Real Madrid, Bayern de Munique, PSG, Liverpool, Juventus, Boca Juniors já fazem parte do meio dos NFTs. Além disso, alguns times nacionais de futebol como Atlético-MG e Corinthians também já estão incluídos nas plataformas que utilizam a comercialização de conteúdo e produtos digitais.

Em maio deste ano, o Galo foi o primeiro time do Brasil a anunciar a integração em uma plataforma com a utilização dos criptoativos. Foi realizada uma parceria com a empresa Sorare, que vem lançando vários uniformes comemorativos autenticados pelo clube como peças de colecionador. Ademais, o Atlético leiloou no valor de US$ 5 mil a imagem que ilustra a famosa defesa de pênalti do goleiro Victor durante a campanha vitoriosa do Galo na Copa Libertadores de 2013.

Com a popularização das NFTs no mundo, até mesmo famosos fazem parte desse novo mundo de possibilidades. Mick Jagger, vocalista dos Rolling Stones, e Dave Grohl, líder dos Foo Fighters e ex-baterista do Nirvana, já entraram na onda dos NFTs. Eles anunciaram a venda de uma música inédita que os dois gravaram juntos, chamada “Eazy sleazy”. A compra ainda acompanha uma arte digital criada pelo artista Oliver Latta, conhecido como “Extraweg”. E o sucesso dos tokens entre os famosos não é apenas internacional, a atriz Vera Fischer comercializou o NFT de uma rara fotografia sua por US$ 58 mil.

Mas não se engane em achar que apenas famosos têm acesso às plataformas de NFT, em agosto deste ano, um garoto de 12 anos do Reino Unido ganhou o equivalente a 2 milhões de reais com a venda de uma série de obras de arte pixeladas chamadas “Weird Whales”.
Com a onda crescente dos tokens infungíveis, algumas redes sociais também têm pretendido adotar novas funções e recursos que disponibilizam recursos de NFTs.

Na última quarta-feira, 29, a engenheira de software do Twitter, Mada Aflak, divulgou uma nova função experimental que possibilitará aos usuários da rede social a utilização de NFTs por meio da foto de perfil. A proposta é de que os usuários possam conectar uma carteira digital em seus perfis e importar suas coleções para a plataforma. Ao realizar a importação dos arquivos para o perfil, o usuário receberá uma espécie de insígnia com a logo da Ethereum, que identifica os tokens infungíveis como propriedade daquele perfil.

Uma vez que o uso de NFTs como imagem de perfil tem se tornado comum nas redes sociais, com a nova função em desenvolvimento por Mada, os perfis de criação e comercialização de criptoativos poderão evitar possíveis réplicas e garantir a autenticidade do proprietário. Aflak também pede aos seguidores para enviar sugestões de possíveis aprimoramentos da nova função.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »