08/10/2021 às 16h13min - Atualizada em 07/10/2021 às 19h18min

Entenda as verdades sobre o mito de “viajar para países com moeda desvalorizada em relação ao real brasileiro é mais econômico”.

Liz Tamane - Editado por Bárbara Miranda
Fonte : economia.uol
Por conta da espera demandada pela pandemia de covid-19 brasileiros tiveram que adiar o sonho de realizar uma viagem internacional. Atualmente, com o avanço da vacinação e as fronteiras de diversos países se abrindo, eles enfrentam outro problema: a desvalorização do Real (BRL). Segundo um levantamento da Austin Rating, em 2021 o real foi a sétima moeda mais desvalorizada no mundo. Esses dados fazem com que as pessoas que querem viajar para fora do país pensem em escolher destinos com moedas mais baratas. Antes de escolher um destino, é importante entender por quê viajar para países com moedas mais baratas que o real não é mais econômico.

Segundo pesquisa encomendada pelo Booking.com, com o fim da pandemia, a maioria dos brasileiros, vão preferir viajar a viver um grande amor (74%) e a comprar um carro (71%). A partir de tais números fica evidente que viagens ainda são uma prioridade na vida das pessoas, mesmo com a alta do dólar.

Entre os destinos que a população brasileira mais procura estão os Estados Unidos e a Europa. Hoje, se alguém que ganha em Real for para Nova York, e quiser comprar uma refeição comum de $15,00 em um fast-food, vai gastar aproximadamente R$82,25. Esses valores podem fazer pensar que a solução do problema é escolher um destino com uma moeda barata.

Custo de Vida

Antes de optar por um destino com moedas que valem menos, é necessário saber o custo de vida do local. Caso a moeda local seja 5 vezes mais barata que o real, não quer dizer que o brasileiro vai ter um poder de compra 5 vezes maior neste país hipotético.



Um real compra, hoje, aproximadamente 148 pesos chilenos, o que não que dizer que um brasileiro está rico no Chile. Em Santiago –Capital Chilena-, o custo de vida é alto, o almoço em um restaurante comum custa em torno de 8000 a 10000 pesos chilenos, o que equivale a 54 a 70 reais. Ou seja, não é uma vantagem econômica tão vantajosa para o brasileiro.

Passagem aérea

Passagens aéreas para destinos menos procurados custam mais caro, seja pela pouca procura, seja pela distância. Quem escolhe ir para Bali (ID), com R$01,00 consegue comprar 2584,93 de rúpia indonésia, o que é vantajoso mesmo que um almoço lá custe Rs75000.00 (R$28,00). Mas, os altos preços das passagens aéreas acabam superando a possível economia gerada pela moeda barata do país, uma passagem de ida e volta para Bali custa aproximadamente R$7000,00.

As passagens para Europa costumam ser mais baratas do que as para a Ásia, onde ficam alguns destinos com moedas mais baratas que o real. Quem quer conhecer a maior cidade italiana –Roma-, por exemplo, gasta em torno de R$4000,00 em tickets aéreos.

Antes de escolher um destino é importante pesquisar os preços das passagens aéreas, dependendo do local escolhido, mesmo que o custo de vida e a moeda sejam baratos, o preço do aéreo acaba superando a economia dos outros gastos.

Mesmo os países com moedas mais baratas não estão interessados no real

Para trocar reais numa casa de câmbio no exterior é  necessário encontrar uma casa de câmbio que tenha a moeda brasileira. O eu não é muito difícil em países latino-americanos, mas no resto do mundo, quando aceitam trocar o real, o consideram uma moeda muito desvalorizada no geral.

O real também pode acabar sofrendo uma desvalorização durante a viagem, o que levará as casas de câmbio a não querer comprá-lo até que a situação seja estabilizada.

Compensa ou não escolher um país onde o real vale mais?

A partir de todas as informações expostas até aqui, fica claro que escolher um destino apenas por conta da valorização do real em detrimento da moeda local não é a melhor opção para quem quer economizar. Fatores como o custo de vida, preço da passagem aérea e variação de taxas de câmbio impedem que um assalariado brasileiro se sinta rico em um país onde o real vale muito.

O ideal para quem quer economizar é fazer um planejamento prévio, optar por não viajar na alta temporada, ficar por dentro de promoções de passagens aéreas e ir comprando aos poucos a moeda do país que quer conhecer. Vale a pena escolher um destino alternativo, com uma moeda barata, e não tão procurado pelo resto da população brasileira, mas isso não é uma garantia de que se gastará menos.
 
Referências :
 
VIAJAR PARA ONDE O REAL "VALE MAIS" PODE NÃO SER A DECISÃO CORRETA. Spacemoney, 2021. Disponível em: <https://www.google.com/amp/s/m.br.investing.com/news/forex-news/viajar-para-onde-o-real-vale-mais-pode-nao-ser-a-decisao-correta-entenda-901816%3fampMode=1>. Acesso em: 6 de out. 2021.

FERRARI, Hamilton. Real é a sétima moeda que mais desvalorizou em 2021. Poder360, 2021. Disponível em:<https://www.poder360.com.br/economia/real-e-a-7a-moeda-que-mais-se-desvalorizou-em-2021/ >. Acesso em:6 de out. 2021.

Quanto custa viajar para Santiago. Quanto custa viajar, 2021. Disponível em:<https://quantocustaviajar.com/chile/santiago >. . Acesso em: 6 de out. 2021.
 

 
https://conteudo.imguol.com.br/c/noticias/e9/2021/02/25/real-registrou-forte-desvalorizacao-frente-do-dolar-no-ano-passado-1614248929569_v2_900x506.jpg.webp
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »