27/10/2021 às 00h09min - Atualizada em 18/10/2021 às 11h13min

A psicologia no desenho animado do “Ursinho Pooh”

O desenho animado ‘Winnie the Pooh’ que foi desenvolvido por Alan Alexander Milne, trás personagens carinhosos e fofos, mas também com transtornos mentais.

Larissa Andrade - editado por Luhê Ramos
Winnie the Pooh (Foto: Reprodução/ Plano crítico)
A animação marcou jovens e crianças com os personagens da floresta. Mas o que a maioria das pessoas não sabem é que a história do Winnie the Pooh, foi inspirado em transtornos mentais, apesar de não ter sido esse o intuito, pesquisadores do Canadian Medical Association possui uma pesquisa com base na caracteristicas de cada personagem e a psicologia. Entenda mais sobre cada personagem e o tipo de transtorno mental que ele possui.

O Urso Pooh

É o Protagonista da animação, mas tem comportamentos compulsivos por mel, levando-o a ter um transtorno alimentar. Além disso, Pooh também sofre de Transtorno de Déficit de Atenção (TDAH) e é muito desatento e foco é um problema para ele. O TDAH é uma doença crônica que inclui dificuldade de atenção, hiperatividade e impulsividade.

Leitão

Um dos amigos do ursinho é agitado, ansioso e ruborizado. Quando algo aconte, ele fica ansioso e perturbado. Leitão sofre de Transtorno de Ansiedade generalizada, por isso prefere ficar perto de Pooh, sem barulhos ao redor.

IÓ (Bisonho)

É nítido que o pobre burro sofre de depressão. Ele fica triste o tempo todo, até quando vai tentar aconselhar os amigos, ele dá soluções negativas. Ele sofre de uma depressão severa , conhecida como distimia crônica, fazendo-o se acostumar e lidar com a tristeza.

Corujão

Ele é o mais inteligente e em todas as situações é racional, mas apesar de se apresentar sempre 'com razão', ele sofre de dislexia. A dislexia é um distúrbio de aprendizagem caracterizado pela dificuldade de leitura.

Tigrão

Tigrão é muito afetuoso com os amigos, mas também tem um comportamento agitado e é muito hiperativo, ele também apresenta ter TDAH e trantorno bipolar, mudando de humor rapidamente muitas vezes.

Abel, o Coelho

Ele tem uma tendência em ser presunçoso e tem uma necessidade de organizar as coisas, ele sofre de transtorno obessessivo compulssivo (TOC) e exige também que os outros sejam organizados, ficando nervoso e com raiva da falta de organização do outro.

Kanga e guru

Apesar de guru crescer sem um dos pais, isso pode afetar seu desenvolvimento. O filhote apresenta sinais de autismo, além de andar muito com o Tigrão, acaba arriscando sua vida em situações perigosas. Kanga é uma mãe superprotetora e possessiva, isso pode atrapalhar o crescimento de guru. O Autismo é uma síndrome caracterizada por problemas na comunicação, na socialização e no comportamento.

A floresta dos cem acres, tem personagens amáveis e super fofos, muitos deles tentam se ajudar e se salvar de algum perigo, mas algumas vezes aparece uma tentação ou um impedimento com o próprio ‘eu’, como por exemplo, o Ió, quando é um plano para salvar alguém, ele sempre acredita que vai dar errado, por causa de suas limitações, os personagens acabam se atrapalhando.

O que podemos aprender com o desenho animado?

O primeiro curta metragem da animação, foi lançada pela Disney em 1966, que é baseado no livro feito por Alan Alexander Milne. O desenho trás fatos que acontecem na nossa realidade hoje e cada vez aumenta. Principalmente na pandemia do covid-19, onde os casos tem sido maiores por conta do isolamento social.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 720 milhões de pessoas sofrem com doenças mentais em todo o mundo - aproximadamente 10% de toda a população mundial. Dia 10 de Outubro se comemora o Dia Mundial da Saúde Mental, segundo a OMS, cerca de 1 bilhão de pessoas no mundo vivem com algum tipo de transtorno mental. A cada 40 segundos, uma pessoa morre por suicídio. 

A animação do Ursinho Pooh nos ensina que apesar das nossas limitações e dificuldades, cada um enfrenta um problema pessoal e mesmo assim, os personagens dos cem acres estão sempre se ajudando.

Estatísticas da Covid sobre a saúde mental das pessoas.

Estatísticas da Covid sobre a saúde mental das pessoas.

(Foto: Reprodução/ Valor econômico/ Globo)

Ainda assim, pessoas enfrentam preconceito por conta de sua saúde, sendo tachadas muitas vezes de “doido” ou “louco”, o nome disso é “psicofobia” que é o preconceito às pessoas que sofrem de transtornos e deficiências mentais. A psicofobia pode gerar uma limitação, fazendo com que a pessoa pare com o tratamento e consequentemente levando a cometer um suicídio, por isso é importante sempre escutar e ter um olhar atento para com o próximo. Em momentos assim, temos que ser como os personagens da animação, mesmo com problemas, mas sempre ajudando o outro.

Hoje
 a Psicofobia (atitude preconceituosa e discriminatória contra os deficientes, portadores de transtornos mentais e psiquiatras) é um crime de acordo com a campanha que está no PLS 236/12.

Por fim, fica aqui algumas frases para incentivar você:

1) "Você é mais valente do que pensa. Mais forte do que parece. E mais inteligente do que acredita."
2) "Se você viver 100 anos, eu quero viver 100 anos menos um dia, para nunca ter que viver nem um dia sem você."
3) "As coisas que me fazem diferente são as coisas que me fazem ser quem eu sou."
4) "Às vezes as menores coisas são as que ocupam mais espaço no coração."
5) "Sentir raiva é punir-se pela estupidez dos outros."

Se você sofre de algum transtorno mental ou conhece alguém que também sofre com isso, ligue para a Central de Valorização da Vida (188). Você não está sozinho!


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »